Navios deste tipo:

João Coutinho
Corveta
Baptista de Andrade
Corveta
Descubierta
Corveta
El Errhamani
Corveta

Listar navios do tipo
Corveta

Notícias relacionadas
Portugal: Estado da frota preocupa comandos da marinha



Portugal
Corveta classe
João Coutinho
(tipo João Coutinho)
João Coutinho

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 1203 Ton
Deslocamento máx. : 1380 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 84.6 M - Largura: 10.3M
Calado: 3.6 M.
2 x Motor a Diesel OEW 12PC2V280 (10560cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 100 Autonomia: 10600Km a 18 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 23 nós

Canhões / armamento principal
1 x US Naval Gun Factory 76mm / 50 (US) Mk33 (Calibre: 76mm/Alcance: 12.8Km)
2 x Bofors / BAE Systems 40mm /L70 Mod.1958 (2 x) (Calibre: 40mm/Alcance: 12Km)

Radares
- Northrop-Grumman/Westinghouse AN/SPG-34 (Director de tiro - Al.med: Km)
- ALENIA-Marconi MLA-1b (Pesquisa aérea - Al.med: 126Km)
- Kelvin Hughes KH-1007 (F) (Navegação - Al.med: 37Km)


Forum de discussão

Embora com um registo iniciado por "F" o que algumas vezes implica a sua classificação como fragatas, na realidade a classe João Coutinho é muito mais uma classe de grandes corvetas, ou grandes navios patrulha.

A construção destes navios foi levada a cabo em estaleiros alemães e espanhóis, por falta de capacidade local para produzir a quantidade de navios requerida, num curto período de tempo. Seis navios em dezasseis meses, mais quatro em onze meses. O projecto foi considerado tão bom, que os estaleiros Bazán, produziram para a marinha espanhola uma variante de seis navios desta classe, a que deram o nome de Descubierta. As Descubierta - que foram lançadas á agua entre 1978 e 1982 (ver classe Descubierta)

As limitações da classe João Coutinho, podem parecer grandes hoje, mas não o eram em meados dos anos sessenta, quando o objectivo era garantir por todos os meios a impermeabilidade do mar português, no continente e em África.

Politicamente era muito importante manter essa presença e além do mais dava a Portugal um argumento junto de países africanos acusados de apoiar os movimentos de "libertação", quando se acusava aqueles de colaborar, não podendo os mesmos contra-argumentar que o apoio aos movimentos era feito por via marítima, dado que com a presença portuguesa no mar, tal não sería possível.
De resto, a utilização destes meios só era viável em operações militares na costa da Guiné, onde em alguns (poucos) canais a navegação era possível. Depois da guerra acabar, estes navios limitaram-se a missões de patrulha das aguas territoriais e Z.E.E.

Parte destes navios, estão já em fase de desarmamento, e serão rendidos pelos patrulhas oceânicos da classe/projecto NPO-2000 / Viana do Castelo


Informação genérica:
A classe João Coutinho, é uma classe de navios de concepção portuguesa com origem nos anos sessenta, e que tem muito mais a ver com o espirito colonial vigente na altura - que pedia "canhoneiras" que com as necessidades de um país membro da NATO.

O projecto é de concepção e autoria do Contra-Almirante Rogério D'Oliveira, embora tenha havido colaboração dos estaleiros alemães B+V para estudos de pormenor e de estabilidade.

Este tipo de navios é dividido em várias classes. Em Portugal o projecto foi posteriormente modificado, com a adopção de novas armas para a mesma plataforma, resultando na classe Baptista de Andrade, que é o mesmo navio mas com armas diferentes. A principal diferença é a substituição de uma peça dupla de 76mm por uma peça mais pesada de 100mm igual á da classe João Belo, a utilização de torpedos e maior capacidade anti-submarina.

Os estaleiros navais espanhóis onde parte dos navios foram construidos solicitaram o apoio dos estaleiros Blohm + Voss para desenvolver uma derivação da classe João Coutinho a que chamaram Descubierta.

As Descubierta são basicamente a soma das qualidades das João Coutinho, com a inclusão de armamentos muito mais sofisticados e modernos, como por exemplo mísseis anti aéreos.

Além de Portugal e da Espanha, este tipo de navio foi vendido para Marrocos e para o Egipto.

As versões marroquinas e egipcias são idênticas aos navios da classe Descubierta.


   
---