Navios deste tipo:

Comandante João Belo
Fragata
Uruguay
Fragata

Listar navios do tipo
Fragata


Uruguai
Fragata classe
Uruguay
(tipo Commandant Riviere)
Commandant Riviere

Dados principais Motores
Deslocamento standard: 1750 Ton
Deslocamento máx. : 2250 Ton.
Tipo de propulsão: Motor a Diesel
Comprimento: 102.7 M - Largura: 11.7M
Calado: 4.3 M.
4 x Motor a Diesel SEMT Pielstick 12 PC (16000cv/hp)
Tripulação / Guarnição: 159 Autonomia: 13500Km a 15 nós - Nr. Eixos: 2 - Velocidade Máxima: 25 nós

Canhões / armamento principal
2 x DCN - Naval 100mm Creusot-Loire m.53 (Calibre: 100mm/Alcance: 17Km)

Torpedos
- 6 x DCN - Naval ECAN-L3 - sistema de lançamento: lançadores Mk.32 (3)

Radares
- RACAL-DECCA TM-1226 (Navegação - Al.med: 27Km)
- Thomson-CSF / Thales DRBV 22A (Pesquisa aérea - Al.med: 67Km)

Sonares
- Thomson-CSF / Thales DUBA-3A / Pesquisa activa/ataque


Forum de discussão

Os três primeiros navios da classe Uruguay, são navios que serviram inicialmente na marinha francesa.

Todos os navios de origem francesa foram entregues originalmente à marinha francesa entre Março e Dezembro de 1962, enquanto que os dois navios portugueses foram entregues à marinha de guerra portuguesa em 1968.

A fragata General Artigas, foi desactivada em 27 de Abril de 2005.

Em 2008, o Uruguai adquiriu a Portugal as duas fragatas da classe João Belo, de um total de quatro adquiridas por aquele país no final dos anos 60.

A diferença essencial entre os navios de origem portuguesa e os de origem francesa, reside na superior capacidade antisubmarina dos navios portugueses, equipados com um sonar mais moderno, idêntico ao que está instalado nas fragatas da classe Meko-200 (Vasco da Gama). No entanto, segundo os dados disponíveis, os navios transferidos para o Uruguai, não contarão com sonares.

Negociações, ou contactos mais ou menos informais entre o Uruguai e Portugal já tinham sido efectuadas no inicio dos anos 90, na altura em que as fragatas portuguesas foram submetidas a uma modernização.

Embora a marinha do Uruguai, tivesse interesse em adquirir um ou dois navios de uma classe mais moderna, eventualmente a classe Kortenaer alemã (classe Bremen), as fragatas portuguesas deverão, pelo menos em principio, servir durante alguns anos até que a marinha do Uruguai adquira navios com maiores capacidades.

A entrada em serviço dos navios portugueses implicou a retirada dos navios anteriormente ao serviço.


Informação genérica:
Os navios do tipo Comandant Riviére são navios relativamente baratos e simples de construir que foram configurados pelos franceses para servir nas suas possessões ultramarinas.
Eses foram construidos com base nas antigas classes Le Corse (1702t) e Le Normand.

É o tipo de navio que não participa em combates com outros navios de guerra de primeira linha, e que funciona como navio de policiamento naval pesado.

Esta função secundária no entanto não impediu a França de modernizar as suas fragatas ao longo dos anos acrescentando-lhes capacidade para disparar mísseis, que inicialmente não tinham.

Além da França, Portugal também adquiriu quatro navios desta classe.

Parte dos navios franceses foram vendidos ao Uruguai, quando a classe foi retirada de serviço em França.

Posteriormente, também os dois últimos navios portugueses foram colocados à disposição do Uruguai, para incorporação na marinha daquele país em 2008.


   
---