Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo ligeiro de reconhecimento

Veículos idênticos ou relacionados:


Chaimite V200
Veículo Blindado Transporte Pessoal

Chaimite V-400
Veículo ligeiro de reconhecimento

LAV-150
Veículo ligeiro de reconhecimento

LAV-300
Veículo médio de reconhecimento

M1117
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

Chaimite V-400
Veículo ligeiro de reconhecimento (BRAVIA)

Projeto: BRAVIA
Portugal
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
5.6
n/disponivel
2.26m
2.75M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
7.7t
8.5t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
M-75 V8/gas.
210cv
90 Km/h
40 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Quatro rodas motrizes
N/disponível
900Km
4
65º
40º
Anfíbio
0M
0.9M

Sistema de radar auxiliar:


Forum de discussão

O Chaimite V-400 é idêntico ao veículo «Comando V-150 ou LAV-150» da Cadillac Gage.
Tratou-se de um veículo experimental resultado da instalação de várias torretas (Mecar belga e Hispano-Suiza ) equipadas com um canhão de 90mm de alma lisa, que disparava munição explosiva anti-pessoal.
Notar que se mantêm as diferenças entre o veículo básico V-100 e o V-200 «Chaimite» português que se notam especialmente na parte traseira do veículo.

O exército português não parece ter demonstrado interesse no veículo, e quando vários anos mais tarde já depois do fim da guerra em África se colocou a possibilidade de adquirir veículos desta classe, a opção do exército foi por adquirir o veículo da Cadillac-Gage, quando uma empresa portuguesa já havia produzido um veículo com características idênticas.

Não são exactamente conhecidas as razões da aquisição por Portugal do veículo LAV-150 em vez do veículo nacional V-400, o qual, segundo o fabricante seria bastante mais barato. No entanto, a pequena quantidade de veículos pedida pelo exército poderá ser uma das razões. A outra tem a ver com as garantias de manutenção que poderiam ser apresentadas por um fabricante cuja «saúde» dava razões para desconfiar do fornecedor português.

Falta de torreta com canhão de alta velocidade
A opção portuguesa pela utilização de uma torreta no LAV-150 utilizando um canhão de alta velocidade com capacidade para disparar munição perfurante e a adaptação de uma torreta mais sofisticada (leia-se poderosa) no veículo também são razões a considerar para justificar a não opção pelo V-400.

Nenhuma das torretas do V-400 testadas pela empresa portuguesa utilizava um canhão de alta velocidade com capacidade de perfurar a blindagem de carros de combate (o que aliás se veio a verificar fazer sentido, pois o veículo é demasiado leve e tem apenas quatro rodas o que aumenta a sua instabilidade). Das torres testadas a mais sofisticada era a também utilizada pelo Panhard AML-90, que podia disparar munição de Alto Explosivo mas não tinha capacidade para perfurar as modernas blindagens que apareceram nos anos 80, embora para as necessidades do inicio dos anos 70 durante a guerra, ela fosse uma solução eventualmente eficiente.

Assim, embora exteriormente idênticos, o V-400 da BRAVIA e o LAV-150 da Textron-Marine (Cadillac-Gage) eram na realidade veículos com funções e capacidades bastante diferentes, o que de alguma forma poderá justificar a opção pelo LAV-150, já nos anos 80 / 90 uma vez que o exército português procurava um veículo que pudesse efectuar as funções de reconhecimento atribuidas ao Panhard-EBR (equipado com um canhão de 75mm).


Nota: Na imagem acima, ainda que disponha de uma torreta com uma peça de 90mm, e a viatura tenha matricula portuguesa, não se trata de um Chaimite, mas sim a de um V-100 norte-americano. Isso pode-se verificar pelas laterais moldadas (ligeiramente arredondadas) que no Chaimite teriam angulos vivos dado serem soldadas (ver foto no topo).

Informação genérica:
Familia de veículos de transporte de pessoal de origem norte-americana V-100. Trata-se de um veículo 4x4 com motor atrás, blindagem ligeira e capacidade anfíbia e alta velocidade em estrada.

Muitos veículos deste tipo foram utilizados na guerra do Vietname, tendo sido utilizados pelo exército da República do Vietname do Sul.

Só ,mais tarde, reconhecendo as vantagens da necessidade de dispor de alguma blindagem para as suas forças móveis, os norte-americanos adquiriram também este veículo. Foram encomendados pelo exército, para as suas forças de policia e também pela Força Aérea dos Estados unidos.

Existem várias versões e séries deste veículo.

De entre essas destacam-se as conhecidas como «Chaimite» e que foram produzidas por Portugal nos anos 70 e 80, estando ao serviço naquele país europeu, chegando a ser exportado nas suas várias versões, que incluiam versão porta-morteiro e uma versão equipada com mísseis anti-tanque.

Os portugueses estudaram também versões para apoio de fogo (equipadas com canhão de 90mm de baixa presão) e veículos equipados com torres para defesa anti-aérea que não chegaram a estagio de produção.
Embora não tenham sido produzidas estas versões, algumas unidades da versão base V-200 foram modificadas para diferentes funções.

A empresa Cadillac-Gage foi comprada pela Textron Marine & Land, e o projecto continuou a ser desenvolvido, tendo presentemente resultado numa família de veículos classificados como «veículo blindado de segurança» e que são utilizados pelo exército dos Estados Unidos para protecção de colunas miltares.

A sua mais recente versão chama-se M-1117 e também possui versões de transporte de tropas e de infantaria.

STANAG-I
Este veículo tem ou pode ter protecção de blindagem compatível com a especificação STANAG-4569 Nível 1
A especificação STANAG-1 implica protecção contra a seguintes ameaças:
-Capacidade para resistir a um disparo de espingarda/rifle do tipo G-3 calibre 7.62x51 a uma distância superior a 30 metros, considerando uma velocidade do projectil de 833m/s (disparo de qualquer ângulo e elevação inferior a 30º).
-Capacidade para resistir a um disparo de espingarda/rifle do tipo G-36 calibre 5.56 a distância superior a 30 metros, considerando uma velocidade do projectil de até 937m/s (disparo de qualquer ângulo e elevação inferior a 30º).
-Capacidade para resistir a disparo de canhão de calibre 20mm a 150 metros , com velocidade do projectil de 520m/s (disparo de qualquer ângulo e com elevação de 0 a 18º)