Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Veículo Blindado Transporte Pessoal



Veículos idênticos ou relacionados:


M548
Viatura táctica média

M-113 A1/A2
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M-730 / M48A3 «Chaparral»
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

M901 ITV
Caça-tanques

AIFV
Veículo de Combate de Infantaria

M577 A2
Viatura de comando

M-113B / BR
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M1064 (M-113)
Morteiro autopropulsado

M-113 A3
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

Notícias relacionadas
Guerra no Rio de Janeiro já matou 44

M-113B / BR
Veículo Blindado Transporte Pessoal (FMC-United Defense / BAE Systems)
M-113B / BR

Projeto: FMC-United Defense / BAE Systems
Estados Unidos da América
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.86
n/disponivel
2.54m
2M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
9.8t
10.6t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Mercedes Benz OM-352-A 6cyl turbo diesel
180cv
64 Km/h
40 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
310 Litros
320Km
2+11
70º
30º
Anfíbio
1.65M
0.6M

Armamento básico
- 1 x 12.7mm Browning M2 (Calibre: 12.7mm - Alcance estimado de 1.5Km a 2.4Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: Brasil
Designação Local:M-113BR
Qtd: Máx:584 - Qtd. em serviço:250
Situação: Em serviço
Operacionalidade:
O M-113 brasileiro, foi modificado pela empresa MOTOPEÇAS de São Paulo no inicio dos anos 80. Entre as principais modificações esteve o novo motor Mercedes Benz fabricado no Brasil, a modernização ao nível da transmissão e sistemas de arrefecimento, além da modernização de outros sistemas e componentes.

De notar que nem todos os M-113A1 foram convertidos para o padrão M-113BR. Não há informações sobre a operacionalidade desses M-113 originais. O numero indicado como quantidade máxima/inicial, refere-se a todos os M-113 ao serviço do exército brasileiro.


Forum de discussão

O Brasil recebeu várias centenas de viaturas M-113, durante as décadas de 1980 e 1990. A viatura foi vista como adequada para as necessidades de motorização do exército brasileiro, mas porque eram viaturas em segunda mão, elas apresentavam alguns problemas, como por exemplo o consumo dos motores a gasolina, além de que a idade implicava a necessidade de uma revisão geral.

O projeto de modernização das viaturas M-113 brasileiras foi desenvolvido pela empresa MOTOPEÇAS de São Paulo. Trata-se básicamente do M-113A1 original, ao qual foram feitas várias alterações com o objectivo de nacionalizar o veículo, utilizando o maior numero possível de componentes brasileiros.

No inicio da década de 1980, o aumento do preço do combustível desincentivava a utilização de motores a gasolina. Por essa razão entre as principais modificações esteve a instalação do motor Mercedes OM352A a Diesel, com seis cilindros em linha turboalimentado.
A autonomia da viatura passou de 320km para 550km.

Além do novo motor, também uma nova transmissão foi colocada. A MOTOPEÇAS já tinha colaborado na concepção das modificações do sistema de transmissão do blindado XIA2.

Além do motor, foram substituidas engrenagens da caixa, sistema de bombas de combustível. O sistema de escape e de admissão de ar para o motor também foi nacionalizado.

Os M-113B começaram a ser entregues ao exército brasileiro por volta de 1985.

M-113BR
Durante o ano de 2012, foi anunciada a entrega de uma nova geração de viaturas modernizadas da família M113 ao exército brasileiro, que foram designadas M-113BR. Trata-se de viaturas mais antigas adquiridas pelo Brasil em 2010 que foram modernizadas para a especificação M113-A2 Mk.I

Com um motor com uma potência de 265cv turboalimentado novo sistema electrico e de ventilação o M113-BR deverá continuar ao serviço com as viaturas M113-B modernizadas pela MOTOPEÇAS nos anos 80, que ainda se encontram ao serviço.

Estima-se que o total de M113 ao serviço no Brasil se encontre entre 250 a 300 unidades, em vários estágios de operacionalidade.

Informação genérica:
O M113 é um veículo blindado de transporte de pessoal de origem americana, e é provavelmente o mais reconhecido veículo do tipo.

Com mais de 50.000 exemplares produzidos e disponível em mais de 150 versões é o veículo blindado mais produzido no ocidente depois do carro de combate Sherman.

O desenvolvimento do M113 começou na década de 1950, nomeadamente 1956, quando o exército dos Estados Unidos solicitou à industria uma viatura mais barata e mais leve que o M75 que estava na altura em consideração.

A baixa no preço do alumínio e a necessidade de uma viatura leve que pudesse ser aerotransportada influiram de forma decisiva na escolha do modelo.

Ainda que a espessuara da blindagem seja de 35mm, e em alguns casos de 45mm, a espessura real, é de 12 a 15mm quando comparada com o aço.

Depois de várias encomendas de modelos de pré-produção, a versão definitiva do M113 entrou em produção em 1964.

O M-113 é uma espécie de carrinha (perua) blindada com lagartas (muitas vezes referida como Taxi de combate), que tem por objectivo proteger a infantaria que deve seguir junto com os carros de combate. Adicionalmente, foram crescendo as versões, existindo versões que em substituição da peça de 12.7mm têm peças desde 20mm até 105mm.

Presentemente o M-113 não é um veículo suficientemente capaz para resistir ao "calor da batalha" num teatro de guerra moderno. A sua principal deficiência é a pouca protecção balistica, que decorre da fraca blindagem, mas também da existência de laterais direitas, que facilitam a perfuração por projecteis hoje em dia muito comuns, como as Granada-foguete RPG.
Muitos exércitos modernizaram os seus M-113 acrescentando-lhes blindagem adicional, de forma a reduzir este problema.

Este tipo de veículo, está no entanto a ser preterido pelo conceito do VCI (Veículo de combate de infantaria), que tem menor capacidade de transporte mas ao mesmo tempo dispõe de uma canhão de tiro rápido, de 20 ou 30mm instalado no topo.

Existem alguns exércitos que adaptaram o M-113 a esta nova realidade, adicionando-lhe este tipo de canhão e utilizando-o como VCI.




Uma derivação do M-113 que teve uma utilização e classificação distinta foi o AIFV, uma versão melhorada, com melhor blindagem e armada com um canhão, para permitir o apoio à infantaria embarcada.



M-548
Baseado do M-113, foi desenvolvido o M-548, que é basicamente um chassis sobre lagartas sobre o qual podem ser aplicados vários sistemas.