Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura de comando



Veículos idênticos ou relacionados:


M548
Viatura táctica média

M-113 A1/A2
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M-730 / M48A3 «Chaparral»
Sistema defesa antiaérea Curto/Médio alc.

M901 ITV
Caça-tanques

AIFV
Veículo de Combate de Infantaria

M577 A2
Viatura de comando

M-113B / BR
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M1064 (M-113)
Morteiro autopropulsado

M-113 A3
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

M577 A2
Viatura de comando (FMC-United Defense / BAE Systems)

Projeto: FMC-United Defense / BAE Systems
Estados Unidos da América
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
4.86
n/disponivel
2.68m
2.71M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
12.02t
14.061t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Detroit Diesel 6V53T
212cv
64 Km/h
20 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Lagartas
450 Litros
483Km
1+7
90º
40º
Anfíbio
1.68M
0.61M

Sistema de radar auxiliar:

País: Portugal
Designação Local:M577
Qtd: Máx:47 - Qtd. em serviço:39
Situação: Em serviço
Operacionalidade:
Os primeiros M577 do exército português foram fornecidos quando as primeiras viaturas do tipo M113 foram entregues a Portugal no final dos anos 70. Mais tarde, na segunda metade dos anos 90, foram recebidos mais veículos deste tipo de proveniência holandesa.

As viaturas foram distribuidas à Brigada Mecanizada, na secção de comando do Grupo de Carros de Combate e dos Batalhões de Infantaria Mecanizada, para além de outras unidades daquela brigada. Essencialmente estão distribuídos por todas as secções de comando do Grupo de Carros de Combate, Esquadrão (Companhia) de Reconhecimento, GAC, BAAA, CCS-QG, 1º e 2º BIMec's, na versão de Posto de Comando.

Todos os pelotões de morteiros, possuem uma versão destinada ao controlo de tiro (M577A2 PCT).
Cada Bateria de Artilharia de Campanha e o Pelotões de Radar de Aviso Aéreo da BAAA, também possuem 1 M577A2.

Os sitemas utilizados internamente podem ser alterados conforme vão sendo adoptados equipamentos de comunicações e controlo mais moderno. De resto os problemas dos M577 são comuns aos dos veículos do tipo M 113.
Também estão disponíveis versões de evacuação sanitária do M577, (Secções Clínicas) do GCC, 1º e 2º BIMec's e BAS.

Versões Utilizadas:
36 x M-577A2 / M/81 ACP
3 x M-577A-2 M/85 Ambulance




(Mario.f16)


Baseado no chassis do veículo de transporte M113, o M577 é uma viatura de comando, destinada a servir ao comando de unidades no terreno, a partir de batalhão.

O M577 é mecânicamente idêntico às versões de que deriva e caracteriza-se por um compartimento de maiores dimensões (mais alto) que sofreu um arranjo interior diferente, no sentido de acomodar instalações básicas que permitem ao comando de uma unidade obter informações e dar ordens.

Para o efeito, a viatura de comando conta com um sistema de comunicações destinado a contactar com as unidades no terreno e ao mesmo tempo com capacidade para contactar com níveis hierarquicos mais elevados.

No interior os veículos de comando são concebidos conforme as especificações e necessidades dos países utilizadores e mesmo das unidades, havendo casos de viaturas do mesmo país, mas de unidades diferentes que têm um arranjo interno distinto.

Além do compartimento posterior elevado que serve de habitáculo de comando quando as unidades estão em movimento, o M577 pode receber uma tenda militar que é acoplada à traseira do veículo, a qual pode ser montada em alguns minutos, transformando-se num posto de comando fixo.



As versões do M577 designam-se conforme a viatura base de que derivam (M113-A1, M13-A2 ou M113-A3) e designam-se da mesma forma (M577 A1, M577-A2 ou M577-A3). Da mesma forma que existem kits de conversão para os veículos base, também existem kits de conversão para a versão M577.

Um dos problemas do M577 é o seu volume e altura, que em conjunto com as laterais direitas tornam o veículo num alvo fácil.
Tentando ,minorar o problema, as versões mais recentes deste tipo de viatura podem ser equipadas com módulos adicionais de blindagem, que garantem protecção contra projecteis de 14,5mm e contra projecteis de carga oca, (HEAT) desde que não possuam ogiva de duplo efeito.

O reduzido espaço disponível dentro do M577 sempre foi no entanto um problema apontado pelos seus utilizadores. Desde o inicio dos anos 90 que foi iniciado um programa destinado a estudar a substituição do M577. Surgiu assim um derivado do chasis utilizado para o sistema de foguetes de artilharia MLRS, que foi utilizadooperacionalmente pela primeira vez em 2003.




Informação genérica:
O M113 é um veículo blindado de transporte de pessoal de origem americana, e é provavelmente o mais reconhecido veículo do tipo.

Com mais de 50.000 exemplares produzidos e disponível em mais de 150 versões é o veículo blindado mais produzido no ocidente depois do carro de combate Sherman.

O desenvolvimento do M113 começou na década de 1950, nomeadamente 1956, quando o exército dos Estados Unidos solicitou à industria uma viatura mais barata e mais leve que o M75 que estava na altura em consideração.

A baixa no preço do alumínio e a necessidade de uma viatura leve que pudesse ser aerotransportada influiram de forma decisiva na escolha do modelo.

Ainda que a espessuara da blindagem seja de 35mm, e em alguns casos de 45mm, a espessura real, é de 12 a 15mm quando comparada com o aço.

Depois de várias encomendas de modelos de pré-produção, a versão definitiva do M113 entrou em produção em 1964.

O M-113 é uma espécie de carrinha (perua) blindada com lagartas (muitas vezes referida como Taxi de combate), que tem por objectivo proteger a infantaria que deve seguir junto com os carros de combate. Adicionalmente, foram crescendo as versões, existindo versões que em substituição da peça de 12.7mm têm peças desde 20mm até 105mm.

Presentemente o M-113 não é um veículo suficientemente capaz para resistir ao "calor da batalha" num teatro de guerra moderno. A sua principal deficiência é a pouca protecção balistica, que decorre da fraca blindagem, mas também da existência de laterais direitas, que facilitam a perfuração por projecteis hoje em dia muito comuns, como as Granada-foguete RPG.
Muitos exércitos modernizaram os seus M-113 acrescentando-lhes blindagem adicional, de forma a reduzir este problema.

Este tipo de veículo, está no entanto a ser preterido pelo conceito do VCI (Veículo de combate de infantaria), que tem menor capacidade de transporte mas ao mesmo tempo dispõe de uma canhão de tiro rápido, de 20 ou 30mm instalado no topo.

Existem alguns exércitos que adaptaram o M-113 a esta nova realidade, adicionando-lhe este tipo de canhão e utilizando-o como VCI.




Uma derivação do M-113 que teve uma utilização e classificação distinta foi o AIFV, uma versão melhorada, com melhor blindagem e armada com um canhão, para permitir o apoio à infantaria embarcada.



M-548
Baseado do M-113, foi desenvolvido o M-548, que é basicamente um chassis sobre lagartas sobre o qual podem ser aplicados vários sistemas.