Dados sobre países utilizadores:


Listar veículos do tipo
Viatura táctica Ligeira

Veículos idênticos ou relacionados:


M3A1 «Scout Car»
Viatura táctica Ligeira

M2 / M9 «Half-track»
Veículo Blindado Transporte Pessoal

M3 A1 «GMC Halftrack»
Caça-tanques

M3 / M5 «Halftrack»
Veículo Blindado Transporte Pessoal

 

M3A1 «Scout Car»
Viatura táctica Ligeira (White Motor)
M3A1 «Scout Car»

Projeto: White Motor
Estados Unidos da América
Dimensões
Comprimento
Comprimento máximo
Largura
Altura
Altura máxima
5.7
n/disponivel
2.05m
1.95M
Peso vazio
Peso / combate
Cap. Carga
Reboque
4.5t
5.624t
N/disponivel
N/disponivel
Motor / potência / capacidades
Motor
Potência
Vel. maxima
Terr. Irregular
Hercules 6cyl 4166cc
110cv
72 Km/h
0 Km/h
Tração
Tanque combustivel
Autonomia
Tripulação
Quatro rodas motrizes
135 Litros
300Km
2+10
60º
30º
N/disponivel
0M
0M

Armamento básico
- 1 x 12.7mm Browning M2 (Calibre: 12.7mm - Alcance estimado de 1.5Km a 2.4Km)
Sistema de radar auxiliar:

País: Portugal
Designação Local:White 4x4 M/946
Qtd: Máx:32 - Qtd. em serviço:0
Situação: Retirado
Operacionalidade:
As viaturas White chegaram a Portugal pouco depois do final da II guerra mundial e foram distribuidas aos pelotões e esquadrões de reconhocimento do Regimento de Cavalaria 7, Regimento de Cavalaria 8 e Escola Prática de Cavalaria. Estee também ao serviço na Guiné.


Forum de discussão

Esta viatura foi inicialmente concebida pela White Motors, com o primeiro protótipo apresentado em 1933 e consistia na utilização de um chassis comercial, sobre o qual foram colocadas laterais em aço, dando assim uma protecção blindada aos ocupantes.
De resto, continuava a tratar-se de uma viatura de caixa aberta, sem qualquer protecção superior. A viatura podia ser igualmente utilizada para reboque de peças de artilharia anti-tanque de 37mm e como porta-morteiro.

A ideia do «Scout Car», consistia em dispor de uma viatura de alta mobilidade mas capaz de providenciar protecção contra armamento ligeiro. Esta configuração era adequada para as necessidades de unidades de reconhecimento, pelo que inicialmente se considerou que a viatura transportaria apenas uma guarnição de três ou quatro homens.

No entanto, rapidamente se considerou a possibilidade de aproveitar o espaço para o transporte de infantaria, especialmente quando se começaram a aplicar as lições de 1939 e 1940 que mostravam que a guerra moderna se transformara numa guerra motorizada e de movimentos rápidos.


As qualidades da viatura também foram aproveitadas para o desenvolvimento de uma viatura na configuração meia-lagarta. O Scout Car da White Motors é por isso o «Pai» das viaturas «haltrack» norte-americanas.

Embora o sistema de meia lagarta fosse desenvolvido, a necessidade de uma viatura 4x4 continuou a justificar a produção.

Desde 1941 até ao final de 1944, altura em que a produção da viatura 4x4 foi encerrada, tinham sido produzidos 20,918 exemplares.

Informação genérica:
Embora os chamados veículos de meia-lagarta se tornassem durante a II guerra mundial uma característica do exército alemão, outra força tinha dedicado muito tempo ao seu desenvolvimento.

Na verdade, os norte-americanos começaram a estudar veículos com sistema de tracção híbrido, logo no inicio dos anos 20, e em 1925 estudaram projectos franceses, que serviram de base para o que viria a ser o M2. O primeiro veículo concebido pela industria norte-americana foi produzido em 1932 e até 1940 já tinham sido produzidos vários protótipos.

No entanto, o desenvolvimento foi lento, mas permitiu aos Estados Unidos dispor da tecnologia necessária para começar a construção de um «Half Track» logo que as necessidades o exigiram.

O mais conhecido modelo de veículo meia-lagarta, foi no entanto inicialmente desenvolvido como viatura 4x4 pela norte-americana White Motors. As qualidades da viatura foram apreciadas e o desenvolvimento da versão «halftrack» não se fez esperar.

O primeiro modelo de veículo meia-lagarta, o M2 foi especialmente concebido para servir de tractor de artilharia e de veículo de reconhecimento. Estes modelos foram submetidos a várias modificações e foram renomeados M9.

O modelo M-3, era virtualmente idêntico ao M2, mas era bastante simplificado e ao contrario do M2 tinha mais bancos, o que foi conseguido com o ligeiro aumento da dimensão da viatura e com a remoção de caixas para transporte de munições.
A sua função era a de viatura de transporte de pessoal, que permitia à infantaria acompanhar as forças blindadas. As últimas versões do M3 foram designadas M5.

Com o seu sistema de suspensão simples mas eficaz, os M2/M3 podem-se comparar em capacidades com os modelos do tipo SdKfz-251, embora estes fossem mais complexos e mais caros.

Da mesma forma que os alemães, os norte-americanos e os países aliados utilizaram os veículos da família M2/M3 como transporte de infantaria mas também para uma infinidade de utilizações, desde posto de comando a ambulância, passando por artilharia auto-propulsada e artilharia anti-aérea de vários calibres.

No total, o numero de veículos meia-lagarta deste tipo atingiu segundo os registos 41.170 unidades. Com as versões especializadas o total atinge 53.813 unidades.

Além da White Motors, várias outras empresas se responsabilizaram pelo fabrico do veículo, como foi o caso da Autocar Company, que fabricou os M3 (Gun Motor Carriage).