pub


 

Acontecimentos Relacionados
19-04-1648
1ª Batalha dos Guararapes
13-05-1846
Inicio da Guerra México/E.U.A.
13-12-1864
Inicio da Guerra do Paraguai
11-06-1865
Batalha do Riachuelo
02-05-1866
Batalha de Callao
24-05-1866
Batalha de Tuiuti
24-04-1898
Guerra Hispano-americana
02-04-1982
Invasão argentina das Malvinas
01-05-1982
Malvinas: A resposta britânica
02-05-1982
Afundamento do General Belgrano
21-05-1982
Batalha da Baía de San Carlos
08-06-1982
De Goose Green a Fitzroy
14-06-1982
Malvinas: Queda de «Puerto Argentino»


Guerra Hispano-americana
Conflitos da América Latina
24-04-1898

Este acontecimento teve inicio em: 24-04-1898 e terminou em 24-04-1898
Vencedor: Estados Unidos da América

Forças em presença:

Estados Unidos da América

Espanha



Em 24 de Abril de 1898, na sequência de um «ultimatum» norte-americano exigindo a retirada das forças espanholas da ilha de Cuba, a Espanha declara guerra aos Estados Unidos.

O conflito, que duraria aproximadamente oito meses foi a primeira grande vitória militar dos Estados Unidos sobre uma potência europeia.

Os problemas entre os Estados Unidos e a Espanha, existiam desde havia anos, com os norte-americanos a tomar posições favoráveis aos movimentos independentistas cubanos. Em 1894, 90% das exportações de Cuba (especialmente açúcar) era controlada por empresas americanas, que também vendiam para Cuba 40% de tudo o que a província comprava.

Desde 1868 e até 1878 tinha havido um conflito pela independência que a Espanha tinha controlado e a Espanha aceitou dar mais autonomia para um governo regional da provincia de Cuba como uma região autónoma da Espanha, sem ser formalmente independente. Em 1886 foi abolida a escravatura em Cuba. Mas grupos de cubanos nos Estados Unidos continuaram a defender a independência do território.

No inicio de 1895, forças cubanas vindas dos Estados Unidos iniciam uma insurreição, com vista a expulsar as forças espanholas e a garantir a independência de Cuba. A insurreição, que começou a 24 de Fevereiro de 1895 controlará partes do sul de Cuba. As forças do governo tentaram criar uma linha defensiva entre Jucaro na costa sul e os pântanos da região de Moron na costa norte, tentando assim isolar o leste do oeste de Cuba.

Guerra entre jornais leva dois países para a guerra

Nos Estados Unidos, os rebeldes cubanos conseguiram um grande apoio por parte de alguns dos jornais do país, que viam naquela guerra uma interminável fonte de notícias sensacionalistas.
Na altura existia uma feroz concorrência entre dois grandes jornais americanos que se encontravam numa guerra de circulação e tiragens. Por um lado William Hurst, dono do «New York Journal» e por outro Joseph Pulitzer do «New York World» guerreavam-se diariamente, tentando criar as manchetes mais sensacionalistas, para garantir a compra dos seus jornais.

Os jornais americanos defenderam ativamente os rebeldes criando fatos, mentindo deliberadamente, distorcendo a realidade, e mostrando apenas meias verdades como fatos confirmados, quando na realidade os seus jornalistas nem estavam em Cuba e conseguiam informações em segunda ou terceira mão, publicando como fatos, informações de alguém que disse que tinha ouvido dizer.

Quando a situação em Havana se torna demasiado perigosa como resultado de tumultos provocados por apoiantes do governo espanhol, os jornais americanos exigem que a marinha dos Estados Unidos faça qualquer coisa para proteger os cidadãos americanos em Havana. Como resposta o governo dos Estados Unidos envia para Havana um couraçado embora tenha avisado as autoridades espanholas com apenas 18 horas de antecedência, o que enfureceu os espanhóis.

Vários políticos americanos, consideravam ser necessário levar os Estados Unidos para uma guerra com uma potência estrangeira, como forma de sarar as feridas da guerra civil, que tinha acabado ainda não havia 20 anos. Além disso havia uma grande pressão por parte dos setores industriais ligados à construção naval, para que o país desenvolvesse uma poderosa esquadra, o que permitiria garantir encomendas para os estaleiros durante muitos anos.

Afundamento do couraçado Maine

Na origem da guerra entre os dois países esteve a explosão do couraçado americano Maine em 15 de Fevereiro de 1898, que a imprensa americana apresentou como sendo obra de sabotagem por parte dos espanhóis, tornando a guerra com a Espanha praticamente inevitável.
Em 25 de Fevereiro são emitidas pelos dirigentes americanos as primeiras ordens de preparação da marinha para um eventual conflito com os espanhóis determinando que se preparasse o conflito com estes nas Filipinas. A 7 de Abril o governo de Madrid ordena que um esquadrão de navios de guerra espanhóis tomem posições nas ilhas de Cabo Verde, caso se torne necessário atravessar o Atlântico.

Problema para Portugal

A presença da esquadra espanhola num porto português tornou-se desde logo um problema, pois Portugal mantinha relações coordiais com os Estados Unidos, ainda que a opinião pública portuguesa fosse claramente favorável à Espanha no conflito que se adivinhava.
Chegaram a correr rumores de que a esquadra espanhola utilizaria Cabo Verde (imagem abaixo) como base para as suas ações militares contra os Estados Unidos, em apoio das forças espanholas em Cuba.



Sabe-se que na noite de 21 de Abril de 1898, no dia seguinte à declaração de guerra americana, o embaixador de Espanha informou o governo de Portugal de que a Espanha entraria em guerra com os Estados Unidos, o que levou a uma reunião de emergência do governo de Lisboa na noite de 21 para 22 de Abril.

Declaração de guerra

Para lá dos problemas com o couraçado Maine, a pressão da imprensa sensacionalista americana forçou o governo de Washington a emitir um ultimatum à Espanha no dia 20 de Abril e na noite de 20 para 21, os Estados Unidos declararam formalmente guerra à Espanha. O governo de Madrid respondeu a 24 de Abril, com uma declaração formal de guerra contra os Estados Unidos. No dia seguinte, a esquadra do alm. Cervera baseada em Cabo Verde, recebeu ordem para zarpar para Cuba.

No campo militar as forças espanholas entraram em recontros com os americanos nas Filipinas e foram derrotadas numa primeira série de recontros.

Logo a seguir à primeira vitória americana sobre as forças espanholas nas Filipinas, uma espécie de histeria tomou conta das populações costeiras do leste dos Estados Unidos, pois sabia-se da saída de uma frota espanhola em direção às Américas.
Para acalmar a opinião pública, os responsáveis da marinha norte-americana, juntaram os seus navios mais rápidos e colocaram-nos na base de Hampton Roads na Virginia. Esse esquadrão de navios recebeu a designação de «Flying Squad» ou esquadrão voador. Este nome destinava-se a garantir a tranquilidade para as populações dos estados do sudoeste, que temiam a aproximação da esquadra espanhola.

Na realidade a verdadeira força das unidades espanholas deixava muito a desejar, pois as forças tinham saído de Espanha mal preparadas e o mais moderno navio da esquadra era tão novo, que nem sequer tinha ainda instalado o armamento principal.

A guerra ficou especialmente marcada pela batalha naval ocorrida em Santiago de Cuba. Um esquadrão espanhol conseguiu de facto chegar a Cuba, mas os navios foram forçados a procurar refugio nas águas interiores da baía de Santiago de Cuba, para evitar que os navios fossem alvejados pela esquadra americana.

Este conflito entre a Espanha e os Estados Unidos marcou o fim do império espanhol iniciado 408 anos antes, exatamente com a descoberta da América e provocou uma séria depressão nacional.