pub


 

Armas e equipamentos relacionados

Carro de combate médio - PzKpfw-III E/F «Panzer III»

Bombardeiro leve / táctico - Ju-87B Stuka


Acontecimentos Relacionados
13-12-1939
Batalha do Rio da Prata
10-05-1940
Blitzkrieg a ocidente
13-05-1940
Batalha de Sedan
10-06-1940
Queda da França
03-07-1940
Ataque a Mers-El kebir
13-08-1940
«Adlertag» O dia da Águia
25-08-1940
Primeiro bombardeamento de Berlim
28-10-1940
Invasão da Grécia
11-11-1940
Ataque a Taranto
27-04-1941
Queda de Atenas, 1941
19-05-1941
Operação Rheinubung
20-05-1941
Invasão de Creta
20-01-1942
Conferência de Wannsee
31-08-1942
O Brasil na II guerra
10-07-1943
Invasão da Sicília
24-07-1943
Operação Gomorra «Tempestade de Fogo»
09-09-1943
Afundamento do couraçado Roma
15-02-1944
Monte Cassino
06-06-1944
«Dia D» Invasão da Normadia
12-11-1944
Afundamento do Tirpitz
13-02-1945
Bombardeamento de Dresden
07-03-1945
Tomada da ponte Ludendorf


Queda de Atenas, 1941
II Guerra Mundial / Frente Ocidental
27-04-1941

Este acontecimento teve inicio em: 27-04-1941 e terminou em 27-04-1941
Vencedor: Alemanha / III Reich

Forças em presença:

Alemanha / III Reich

Grécia

Reino Unido

Grécia



O dia 27 de Abril de 1941, marcou a entrada das forças alemãs na cidade de Atenas, e a efectiva queda da Grécia perante as forças hitlerianas.

A invasão da Grécia começou de facto ainda em 1940, quando as tropas italianas invadiram o país a partir do território da Albânia, que tinha sido ocupada pela Itália no inicio de 1939, ainda antes do começo da II guerra mundial.

A partir do momento em que a Itália passou a partilhar uma fronteira com a Grécia, que o país passou a ter uma fronteira terrestre com um país do eixo, o que adivinhava problemas futuros.

A Itália invadiu a Grécia em 28 de Outubro de 1940, depois numa tentativa de ganhar espaço para a Itália, numa Europa cada vez mais dominada pela Alemanha. De notar que Grécia tinha um governo que era relativamente pró alemão, mas o rei da Grécia era pró aliado, e acabou por influenciar um alinhamento mal disfarçado dos gregos com os britânicos, que defrontavam os italianos no norte de África.

No entanto o ataque italiano à Grécia correu mal desde o inicio.
O governo grego fez um apelo ao patriotismo dos gregos, que levou a uma mobilização geral da população contra os italianos.

A 14 de Novembro, duas semanas depois de a Grécia ter sido invadida, um contra-ataque grego contra as forças italianas forçou os italianos a recuar para lá das suas linhas iniciais na Albânia.
Os italianos voltaram a atacar em Março de 1941, mas o ataque italiano contra linhas gregas bastante defendidas, voltou a fracassar.
A grande maioria das forças gregas estavam colocadas na zona fronteiriça com a Albânia, e por isso estava desguarnecida a fronteira com a Bulgária.


Com a preparação iminente da invasão da União Soviética, os alemães não se podiam permitir um ponto no continente onde pudesse existir presença aliada e nos finais de Março, enviam tropas alemãs para a Bulgária, preparando uma invasão. Os gregos solicitam formalmente o apoio britânico.

A invasão alemã da Grécia ocorre a 6 de Abril a partir da Jugoslávia, que entretanto também tinha sido invadida pelos alemães.
O ataque alemão ocorre num sector central da Grécia, mas não teve sucesso imediato pois enfrentou resistência grega, mas o avanço alemão na Jugoslávia, permitiu abrir mais frentes por onde as forças blindadas alemãs puderam avançar, utilizando as suas tácticas normais da guerra relâmpago.

A 9 de Abril a segunda cidade grega «Salónica» cai perante as forças da II Div. Panzer. OS britânicos que tinham vindo em ajuda dos gregos, nem sequer tinham ainda tomado posições, e foram logo forçados a recuar.

Ainda foi montada uma defesa no desfiladeiro de Termópilas, e os alemães foram retidos até 23 de Abril, dia em que finalmente as forças alemãs ultrapassaram esse ponto.
Nesse mesmo dia, o rei da Grécia abandona a cidade.

Tanques alemães entram em Atenas
Atenas sofre vários bombardeamentos por parte dos aviões Stuka alemães, que tentavam evitar a saída de tropas e equipamentos militares a partir do porto de Pireu.
As tropas alemãs entram na cidade quatro dias depois, da passagem por Termopilas, a 27 de Abril, data em que a bandeira do III Reich é hasteada sobre a Acrópole.

As forças britânicas e gregas retiraram para a ilha de Creta, que acabaria por cair no final de Maio, depois de um ataque de forças paraquedistas alemãs.

A maior parte da Grécia será ocupada por foras italianas. O nordeste foi ocupado pelos búlgaros e a cidade de Atenas ficou sob controlo alemão.