Area Militar temas de analise


Força Aérea

Últimos artigos de análise


Queda de Berlim


Anexação da Crimeia


Invasão de Goa


Operação Barbarossa


Rearmamento venezuelano


Os caças do FX-2

Lockeed C-27J ou CASA C-295
Desenho á escala
Dimensões e capacidades
Motores: 2 Rolls Royce AE2100D2 (4640hp cada)
Comprimento: 22.7 M
Envergadura de asa: 28.7 M
Comprimento da cabina: 11,43 M (sem rampa)
Largura máxima da cabina: 3,2 M
Motores: 2 P&W PW127G
Comprimento: 24.45M
Envergadura de asa: 25.81 M
Comprimento da cabina: 12.69 (sem rampa)
Largura máxima da cabina: 2.7M
Peso vazio: 17.000 Kg
Peso máximo á descolagem: 30.505 Kg
Capacidade do tanques: 12.000 litros
Capacidade máxima de transporte: 10.200 Kg ou 44 M3 de carga
(Já atingidos os 11.300Kg-não oficial)
Volume da cabine: 58 M3
Numero de militares transportáveis: 66 (46 paraquedistas)
Peso vazio: 9.500 Kg
Peso máximo á descolagem: 23.200 Kg
Capacidade dos tanques: 7.000 litros
Capacidade máxima de transporte: 9.250 Kg ou 37 M3 de carga.
(Já atingidos os 9.500 Kg - não oficial)
Volume da cabine: 57 M3
Numero de militares transportáveis: 75 (48 paraquedistas)
Performance
Velocidade máxima: 325 nós
Alcance máximo: 5.900 Km (sem carga)
Alcance com carga máxima(10.2 Ton) : 2.100 Km
Alcance com 6.000Kg: 4.600 Km
Descolagem STOL: +/- 600M

Velocidade máxima: 256 nós
Alcance máximo: 5.278 Km (sem carga)
Alcance com carga máxima(9.2 Ton): 1.450 Km
Alcance com 4.000Kg: 4.900 Km
Descolagem STOL: +/-600 M

Outras características
Preço estimado: USD 28 000 000 Preço estimado: USD 29 000 000


Classificando as aeronaves, utilizando uma escala de 20 valores

Quesitos analisados
Classificação
C-27J
C-295
Transporte de carga de Lisboa até ao aeroporto de Pristina na Bosnia. A carga carregada por um SPARTAN é superior
15
13
O C-27J consegue viajar da Madeira até Cabo-Verde com carga máxima, o C-295 não o consegue fazer?
20
15
Qualquer dos aviões consegue voar desde Lisboa até ao aeroporto de Porto Santo ou Funchal na Madeira.
20
20
O C-27J consegue chegar "carregado" á BA-4 nas Lajes. O C-295 não o consegue fazer..
20
17
A ligação entre a Madeira e os Açores, é claramente possível com o C-27J, já com o C-295 será feita no limite e depende das condições atmosféricas (não pode ter ventos contrarios, dado neste caso ter que se reduzir a carga para garantir que o combustível chega)
20
18

Qualquer dos dois aviões pode transportar veículos do tipo Land Rover ou NISSAN, rebatendo antenas
20
20
Veículos Panhard VBL do exército: Por razões que se prendem com a largura dos veículos, o C-295 não consegue transportar este tipo de veículo. O mesmo ocorre com os veículos IVECO Protector da GNR:
20
0
O C-27J consegue transportar praticamente todo o tipo de veículos HUMVEE. O C-295 só pode transportar aqueles que tiverem capota amovivel, exigindo portanto preparação do veículo.
19
17
Transporte de carga geral: A capacidade de carga do C-27J é marginalmente superior ao C-295, que é mais comprido, mas menos largo. O C-295 leva 5 paletes standard contra 3 (mais meia) do C-27J, mas no C-27J a altura das paletes pode ser maior.
18
17
Transporte de militares: O C-295 consegue transportar mais militares, embora em termos de paraquedistas os numeros sejam idênticos.
15
18
O C-27J transporta 60% dos equipamentos típicos de uma unidade aero-transportada do tipo da BAI. O C-295, chega a um máximo de 30% dos equipamentos. Esta diferença deve-se á autonomia e á resistência estrutural da cabine, do SPARTAN que aguenta 5 ton. por metro quadrado, contra 1 ton. no C-295
12
6
O dois aviões têm portas traseiras que permitem o fácil acesso á carga. No entanto o C-27J dispõe de um sistema hidráulico de elevação do trem de aterragem que lhe permite alterar a posição do avião, para facilitar a carga e a descarga.
18
16
O C-27J pode lançar 6 toneladas de uma unica vez, para apoio de tropas no terreno, enquanto que o C-295 apenas consegue lancar 2 toneladas.
18
10
     

O C-27J resiste melhor a forças G, que o C-295, por razões que se prendem com a sua maior rigidez estrutural, que se nota no seu maior peso, menor comprimento e perfil mais compacto. De aqui resulta ser mais adequado que o C-295 para realizar manobras evasivas próximo do campo de batalha.
18
16
Os custos de operação do C-295 são menores que os do C-27J. A diferença não é fixa, no entanto, consideram-se, preço mais elevados das peças e maior consumo de combustível do C-27J
14
15
O preço unitário do C-27J é marinalmente inferior ao preço do C-295. A nota foi atribuida considerando o preço alvo de 20 milhões de dolares
15
15

O C-295 tem uma versão dedicada de patrulha marítima, o C-27J, não tem uma versão desse tipo, limitando-se a uma versão SAR. Foi lançada uma versão de patrulha marítima do C-27J, no entanto, é uma adaptação de um avião feito para transporte táctico, por isso demasiado pesada para avião de patrulha.
12
20
O C-27J compartilha os sistemas de navegação com o C-130J, sendo a conversão das tripulações desnecessária. Ao mesmo tempo, permite efectuar a gestão de apenas um motor, para mais que um avião. O C-295 utiliza um outro tipo de motor, não utilizado na Força Aérea. Este não é um quesito que se possa classificar    
O C-295 da EADS/CASA poderá vir a ter alguns dos seus componentes fabricados em Portugal pela OGMA. Este não é um quesito que se possa classificar.    
 
294
253
Média
17.3
14.9

Alguns dos valores apresentados são obtidos através de extrapolação, considerando os valores conhecidos e divulgados pelos fabricantes e não um teste efectivo das capacidades das aeronaves consideradas. Foram utilizados dados fornecidos pela CASA-EADS e pela LOCKEED-ALENIA, bem assim como foram consideradas análises efectuadas por revistas da especialidade.(Novembro-2004)

Vantagens e desvantagens
Por se tratar de um avião pensado para as necessidades do transporte comercial de passageiros, há alguma vantagem do avião da CASA/EADS no que respeita ao transporte de passageiros. Esta vantagem já não é tão evidente quando se trata de efectuar o lançamento de paraquedistas. No entanto, o avião da Lockeed/Alenia apresenta uma notável capacidade de carga a distâncias médias.

Embora o C-27J transporte aproximadamente a mesma carga do C-295, na prática o C-295, não consegue levar a sua carga máxima tão longe quanto o C-27J.

O caso mais elucidativo é que das três ligações estratégicas (Continente-Madeira, Continente-Açores e Açores-Madeira) O C-27J consegue efectuar as três viagens com a sua carga máxima, enquanto que o C-295 só consegue atingir a Madeira, vindo de Lisboa (e vice-versa). embora consiga efectuar a ligação Madeira-Açores, só pode completar a viagem (com carga máxima) se não houver ventos contrários. A outra ligação, não a consegue fazer com a sua carga máxima, o que não sendo necessáriamente uma desvantagem enorme, pode pesar na decisão final.

Um dos argumentos em favor destes dois aviões, é que eles podem substituir os C-130 Hercules em muitas missões onde estes são utilizados apenas porque não há outro avião disponível, com raio de acção suficiente. Logo, ter nestes aviões a maior capacidade disponível é da maior importância quando se trata de efectuar as ligações entre as várias parcelas do territorio nacional.

O C-27J também estará melhor, no que respeita á autonomia para chegar á Bosnia, ou outras regiões da Ex-Jugoslávia, para apoio ás tropas ali colocadas, onde para efectivos relativamente reduzidos, 7 toneladas de carga pode ser suficiente, em muitas ocasiões.

Da mesma forma no que respeita á cooperação com países de lingua Portuguesa, o C-27J consegue, desde a Madeira, chegar a Cabo-Verde com a sua carga máxima, enquanto que o C-295, não o pode fazer, só se podendo utilizar parte da sua capacidade.

Já no que respeita á versão de patrulha marítima, o facto de Portugal necessitar de utlizar alguns destes aviões para patrulha marítima, torna a utilização do C-27J mais complicada, porque não existe versão de patrulha neste modelo de avião, embora o fabricante tenha feito uma proposta nesse sentido. E a versão de patrulha marítima do C-27J poderá não ter sido suficientemente económica para justificar a aquisição.

Por ser um avião feito de raiz para transporte militar táctico, o Lockeed/Alenia C-27J, é muito mais pesado, e estruturalmente resistente que o EADS/CASA C-295. Por isso, a sua utilização como avião de patrulha, será sempre mais cara, quanto mais não seja, porque transportar as 17 toneladas do C-27J custa mais combustível que transportar as 10 toneladas do C-295.

Conclusões
Os dois equipamentos são em grande medida parecidos, O C-295 é ligeiramente mais caro (o que constitui uma surpresa), e é montado em Espanha pela CASA, a subsidiária espanhola da europeia EADS, enquanto que o C-27J é finalizado pela Alenia em Italia. A balança, do ponto de vista da qualidade e das prestações a nível de utilização táctica, pende de facto para o avião Italo-Americano. Além disso, se a Força Aérea vier a adquirir os C-130J para substituir os C-130H, estes partilham não só os seus motores (Rolls Royce AE2100D2) como ainda partilham muitos componentes e aviónicos. Esta ultima vantagem em termos logisticos, aliada ao que parece ser uma pequena vantagem nas prestações, fazem pender a balança em favor do LOCKEED/ALENIA C-27J SPARTAN.

A questão da versão de patrulha marítima, que sempre foi a parte negativa do C-27J-SPARTAN, parece no entanto ter sido uma das razões para a opção feita pelo C-295.

No entanto a decisão não deixou de ser politica, e os recentes desenvolvimentos no que respeira à aquisição da OGMA, podem ter determinado qual a aeronave vencedora, independentemente das questões técnicas. Esta, poderá ter sido escolhida mais pelas contra-partidas oferecidas que pelas capacidades conhecidas de cada uma das aeronaves a concurso.

P.M.



Título: Comparativo C-27J/C-295 (última actualização: 20.02.2006)
Autor: Paulo Mendonça
Referências: Ref: ref dos autores e pesquisa web


- Página 1->C-27J x C-295

MENU

1
C-27J x C-295