Area Militar temas de analise


Sociedade / Política

Últimos artigos de análise


Queda de Berlim


Anexação da Crimeia


Invasão de Goa


Operação Barbarossa


Rearmamento venezuelano


Os caças do FX-2

Aviões anfibios para combater os incêndios

Visão frontal das duas aeronaves
Depois de um Verão e Outono em que arderam em Portugal vastas áreas de floresta, e mesmo zonas habitacionais, decidiu o governo de Portugal, considerar a possibilidade de adquirir meios próprios para o combate aos incêndios, em vez de, como até agora, alugar esses mesmos meios a empresas privadas.

A decisão, é acima de tudo política, pois nada garante que o facto de Portugal ser proprietário de aeronaves de combate aos incêndios leve à redução do numero de fogos no país. Além disso, mesmo possuindo aeronaves de combate aos incêndios, não deverão acabar os contratos pontuais, em situações de emergência, pois nem Portugal nem nenhum país europeu tem capacidade para enfrentar crises de incêndios de grandes dimensões.

Independentemente das questões políticas, surgem porém, no topo das necessidades, as aeronaves chamadas pesadas (pelos nossos jornalistas), mas que na realidade são aeronaves médias para combate aos incêndios. Destas destacam-se duas: O conhecido modelo canadiano CL-415 da empresa Bombardier, e o mais recente e de origem russa BE-200 do fabricante Beriev da Russia.

O CANADAIR CL-415, é uma aeronave, construída de raiz (na sua versão mais antiga, conhecida como CL-215) para o combate aos fogos florestais, e foi pensada para a realidade do Canadá, onde em regiões remotas não há possibilidade de recorrer a pistas próximas para reabastecimento de combustível e de água. Ao mesmo tempo a aeronave por ser anfíbia, pode abastecer-se de água, deslizando sobre o leito de um rio ou lago, enchendo os seus tanques em apenas alguns segundos. O avião canadiano, é praticamente uma aeronave construída à volta de um tanque de água.

O BERIEV BE-200, de origem russa, tem uma origem muito diferente. Embora seja uma aeronave relativamente recente, é o resultado dos vastos conhecimentos acumulados pela empresa russa, ainda no tempo da União Soviética, quando fez grande parte dos estudos dos aviões/barcos conhecidos como Ecranoplanos, e que eram navios com aspecto de aviões, destinados a deslizar sobre as águas.

A Beriev, desenvolveu também aeronaves anfibias convencionais, de entre as quais se destaca o enorme Beriev A-40, destinado a transporte e patrulha marítima, além de uma miriade de funções, que lhe podiam ser atribuidas, pelo facto de não necessitar de uma pista de aterragem.
O BE-200, é uma versão modernizada e bastante encurtada do A-40, que começou a ser estudada no inicio dos anos 90, depois do colapso da antiga União Soviética.

Tabela comparativa de várias características dos dois aviões


 
BE - 200
CL - 415
Comprimento
31.43 M
19.82 M
Altura
8.9 M
8.98 M
Envergadura de asa
32.78 M
28.63 M
Comprimento da cabine (excluindo o cockpit):
17 M
9.38 M
Largura da cabine:
2.6 M (2.4 M na configuração de transporte de passageiros)
2.39
Volume da cabine
80.8 M3
35.6 M3
Peso vazio
25.120 Kg
12.861 Kg

Peso máximo na descolagem
37.200 Kg / 43.000 Kg (depois de uma tomada de água)
19.890 Kg / 20.865 Kg (depois de uma tomada de água)
Capacidade de carga: (configurado como avião de carga)
7.500 Kg
4.790 Kg
Tanques de combustível:
12.260 Kg
5.796 Litros
Capacidade dos tanques de água:
12.000 Litros
6160 Litros

Tripulação:
2
2
Máximo de passageiros (removendo os tanques de água)
66
30

Velocidade máxima:
720 Km/h
390 Km/h
Velocidade de cruzeiro (económica)
550 a 610 Km/h
365 a 376 Km/h
Razão de subida:
14 Metros/s
7 Metros/s
Técto maximo
8.000 M
Comprimento recomendado da pista:
1.800 M (com carga)
1.050 M (para operações de combate aos incêndios
800 M
Alcance máximo sem carga (trasladação):
3.850 Km
3.250 Km
Alcance com carga máxima:
1.700 Km
800 - 1000 Km (estimativa)
Comprimento de segurança minimo, do circuito para tomada de água em vôo (incluindo area de aproximação e descolagem):
1.450 M
1340 M

Motores 2 x Progress D-436TP Turbofan com 7.800 Kg de força propulsora cada um
2 x Pratt & Whitney Canada PW123AF com uma potência de 1.775 kW cada um
Em opção (no caso do Beriev) 2 x Rolls Royce BR-715 Turbofan c/ uma potência aproximada de 9000 Kg de força propulsora cada um. (Idêntico ao do Boeing 717-200) ver caixa
Consumo de combustivel (1)
1.500 / hora
840 litros / hora

Capacidade de descarga de água com a fonte de abastecimento (rio, lago ou barragem) a 10Km do fogo

200.000 Litros / hora

55.000 Litros / hora

Possibilidade de utilizar água do mar
Sim (ondulação até 1.2 M)
Sim (ondulação até 1.2 M)

Preço estimado (2)
€ 24.000.000
€ 24.500.000
(1) Dado do fabricante. Há que notar que os dados de consumo apresentados consideram o vôo a altitude constante, e não têm em consideração o esforço adicional que se pede dos motores nas constantes operações de tomada de água.
(2) Baseado na cotação aproximada Euro/US Dolar de 1:1.2 e Euro / Dolar canadiano de 1: 1.4. em Outubro de 2005. Os preços são considerados PREÇOS DE TABELA (List Price), pelo que é normal obter descontos que podem ir até aos 30%, ou mesmo mais.


Título: Beriev versus Bombardier (última actualização: 03.03.2006)
Autor: P.Brás
Referências: Rf.Autores/pesquisa web/info fabricantes


- Página 1->Aviões anfíbios para combater os incêndios - Página 2->Comparação entre as duas aeronaves - Página 3->Resultados da comparação e conclusões

MENU

1
Aviões anfíbios para combater os incêndios
[Pag. 2]
Comparação entre as duas aeronaves
[Pag. 3]
Resultados da comparação e conclusões