visitar Diario Digital

Região: Timor
Tema: Sociedade / Política

Os comentários aqui colocados são produzidos pelos leitores desta página, e não têm qualquer relação com o orgão de comunicação que produziu a notícia.
Portugal ajudará Timor em qualquer circunstãncia

11.05.2006
O primeiro-ministro, José Sócrates, garantiu hoje, em Viena, que Portugal ajudará Timor-Leste e o seu Governo «em qualquer circunstância», mas insistiu que o eventual envio de militares da GNR deveria ocorrer no âmbito de um «mandato internacional».
«Timor-Leste e o seu Governo sabem que podem contar sempre e em qualque r circunstância com Portugal», disse José Sócrates.

«Era desejável que tivéssemos um mandato internacional, mas em qualquer circunstância estaremos ao lado de Timor-Leste», acrescentou.

José Sócrates falava aos jornalistas à chegada a Viena, onde vai participar na cimeira entre os 25 Estados-membros da UE e 33 da América Latina e Caraíbas, um dia depois de ter recebido uma carta do primeiro-ministro timorense, Mari Alkatiri, a pedir ajuda ao Governo português para resolver os problemas de segurança no país.

Questionado sobre o eventual envio de um contingente da GNR para Timor- Leste, como pediu esta semana o ministro dos Negócios Estrangeiros timorense, José Ramos Horta, o primeiro-ministro admitiu essa possibilidade, embora sublinhando ser «preciso encontrar a melhor forma».

«Se for esse o desejo e a vontade do Governo de Timor-Leste, nós corresponderemos a esse desejo e a essa vontade, mas é preciso encontrar a melhor forma», disse.

«Mas gostaríamos de ter um mandato internacional», insistiu, recordando que o Conselho de Segurança das Nações Unidas vai reunir-se sexta-feira, em Nova Iorque, para decidir sobre o futuro da actual missão da ONU em Timor-Leste (UNOTIL), cujo mandato termina a 19 de Maio.

Os Estados Unidos propuseram a prorrogação do mandato da UNOTIL por um mês, para que os membros do Conselho de Segurança da ONU avaliem, nesse prazo, a situação em Timor-Leste face aos últimos acontecimento no país, antes de uma decisão sobre uma eventual nova missão.


Link directo para a notícia


Mais noticias da imprensa:

FRETILIN acusa Austrália de «violação da soberania timorense»
Ramos Horta sucede a Xanana Gusmão
Xanana farto do Major Reinado
Timor: Ramos-Horta admite prescindir de militares da ONU
Timor: Matan Ruak ouvido pelo Ministério Público
Detenção de Alfredo Reinado, embaraça Xanana Gusmão
Timor: Quartel-general das forças armadas atacado
Timor: Quartel General das Forças armadas é atacado
Facção militar de Aileu acata ordens de Xanana
Portugal ajudará Timor em qualquer circunstãncia
Timor-Leste: Constituição de Comissão de Inquérito
Xanana e Yudhuyono encontram-se na próxima semana



A página “Recortes de Imprensa” é uma página de edição livre pelos utilizadores registados no Areamilitar.net. Não sendo o seu conteúdo verificado antes de publicação. Pelas suas características, poderá em alguns casos, ocorrer a publicação de matéria ou matérias que possam eventualmente ser objecto de “Direitos de Autor” em algum país.
Esclarece-se que a página, está elaborada em conformidade com o Art. 107, capítulo I, título XVII da legislação dos Estados Unidos da América, país onde se encontram alojadas as páginas e textos do Areamilitar.net.
Em conformidade com o disposto naquele artigo, esta página, destina-se a permitir a livre discussão sobre o tema (disponibilizando para o efeito uma caixa de comentários), não apresenta qualquer mensagem comercial, e respeita a origem da notícia referindo não só o autor, mas disponibilizando ligações para o artigo original. Além disso, não é permitida a publicação de qualquer notícia que não esteja disponível livremente na Internet à data da publicação.

Sendo a página de recortes da imprensa, produzida num espirito de "Boa Fé", poderão no entanto e eventualmente, ter lugar em algumas circunstâncias casos de violação inadvertida de direitos de autor. Neste caso e se houver razão para considerar que algum dos recorte de imprensa não está em conformidade com a legislação acima referida, deve ser contactado o areamilitar.net, através da caixa de mensagens disponível na primeira página, expondo claramente as razões e argumentos que permitam concluir sobre a eventualidade da ocorrência de qualquer violação de direitos. Caso a reclamação seja julgada procedente, o areamilitar.net, efectuará as necessárias alterações dentro dos condicionalismos técnicos impostos pelo sistema de gestão do site.