visitar Publico

Região: Portugal
Tema: Marinha

Os comentários aqui colocados são produzidos pelos leitores desta página, e não têm qualquer relação com o orgão de comunicação que produziu a notícia.
Corveta portuguesa parte para Cabo Verde em missão de combate à imigração ilegal

12.08.2006
A corveta `Baptista de Andrade` da Marinha portuguesa partiu esta manhã da base do Alfeite com destino a Cabo Verde para participar numa missão europeia de combate à imigração ilegal oriunda da África sub-saarina.

Segundo o ministro da Defesa, a missão deverá durar 45 dias e será desenvolvida no âmbito da agência de fronteiras da UE, Frontex, visando a `vigilância das águas contra a imigração ilegal`.

A missão, realizada em articulação com o Ministério da Administração Interna, integra três funcionários dos Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), que vão actuar em colaboração com as autoridades cabo-verdianas.

Severiano Teixeira explicou que cabe às autoridades do arquipélago “a primeira abordagem` do problema, em particular a recolha de imigrantes clandestinos, tendo Portugal estabelecido um acordo de cooperação bilateral com o Governo da Praia.

Cabo Verde, que já teve problemas com imigrantes ilegais, que procuram usar o arquipélago como plataforma de entrada ilegal na União Europeia, `tem agora um novo meio para gerir a situação`, explicou José Magalhães, secretário de Estado da Administração Interna.

O governante garantiu que serão respeitados `todos os trâmites para que as pessoas sejam tratadas segundo as leis do mar e os princípios humanitários`.

Portugal propôs na última conferência euro-africana sobre Migrações e Desenvolvimento, realizada em Rabat, o alargamento da missão europeia de combate à imigração ilegal sub-saariana a Cabo Verde, país com costas consideradas muito vulneráveis.

A missão europeia agora iniciada abarca o patrulhamento das águas territoriais da Mauritânia, Cabo Verde e Senegal (que ainda não deu luz verde), e conta com a participação multilateral da Finlândia (com um avião), Espanha (dois navios e dois helicópteros), Itália (um navio e um avião) e Portugal (uma corveta).

A missão tem a duração de dois meses e a operação da corveta portuguesa prolongar-se-á por 45 dias, podendo ser revogada, em função dos seus êxitos, acrescentou José Magalhães.

A `Baptista de Andrade, que demorará cinco dias a chegar a Cabo Verde, tem uma guarnição mista de 71 efectivos, que serão acompanhados, além dos inspectores do SEF, por 12 fuzileiros, dois mergulhadores-sapadores e dois agentes da Polícia Marítima.


Link directo para a notícia


Mais noticias da imprensa:

Canhão português pode reescrever história da Austrália
Portugal não precisa de submarinos
Fiscais dos submarinos com subsídios cortados
Coisas politico-militares que se passam aqui ao lado
Brigada Mecanizada bloqueada a sul do Tejo
Exército recebe as primeiras Viaturas Blindadas de Rodas 8x8 PANDUR II
99,7 milhões para modernizar cinco P-3C Orion
Submarinos vão duplicar o défice
Exército pronto a receber viaturas blindadas novas
Soldado português morre no Afeganistão
Incidente com EH-101 em São Jorge (Açores)
Portugal e Uruguai assinam acordo de Defesa



A página “Recortes de Imprensa” é uma página de edição livre pelos utilizadores registados no Areamilitar.net. Não sendo o seu conteúdo verificado antes de publicação. Pelas suas características, poderá em alguns casos, ocorrer a publicação de matéria ou matérias que possam eventualmente ser objecto de “Direitos de Autor” em algum país.
Esclarece-se que a página, está elaborada em conformidade com o Art. 107, capítulo I, título XVII da legislação dos Estados Unidos da América, país onde se encontram alojadas as páginas e textos do Areamilitar.net.
Em conformidade com o disposto naquele artigo, esta página, destina-se a permitir a livre discussão sobre o tema (disponibilizando para o efeito uma caixa de comentários), não apresenta qualquer mensagem comercial, e respeita a origem da notícia referindo não só o autor, mas disponibilizando ligações para o artigo original. Além disso, não é permitida a publicação de qualquer notícia que não esteja disponível livremente na Internet à data da publicação.

Sendo a página de recortes da imprensa, produzida num espirito de "Boa Fé", poderão no entanto e eventualmente, ter lugar em algumas circunstâncias casos de violação inadvertida de direitos de autor. Neste caso e se houver razão para considerar que algum dos recorte de imprensa não está em conformidade com a legislação acima referida, deve ser contactado o areamilitar.net, através da caixa de mensagens disponível na primeira página, expondo claramente as razões e argumentos que permitam concluir sobre a eventualidade da ocorrência de qualquer violação de direitos. Caso a reclamação seja julgada procedente, o areamilitar.net, efectuará as necessárias alterações dentro dos condicionalismos técnicos impostos pelo sistema de gestão do site.