visitar Diario Digital

Região: Timor
Tema: Sociedade / Política

Os comentários aqui colocados são produzidos pelos leitores desta página, e não têm qualquer relação com o orgão de comunicação que produziu a notícia.
Xanana farto do Major Reinado

26.02.2007
O Presidente de Timor-Leste, Xanana Gusmão, anunciou esta segunda-feira que autorizou uma operação de captura do major Alfredo Reinado, depois de constatar que o militar fugitivo «passou dos limites».

Alfredo Reinado, que fugiu de uma prisão em Díli em 30 de Agosto de 2006, assaltou no domingo três postos da polícia de fronteiras no Sudoeste do país.

Numa comunicação ao país a ser transmitida esta noite pela televisão timorense, o Presidente da República refere que Alfredo Reinado e o seu grupo levaram 25 armas e uniformes de postos policiais no distrito de Maliana.

«Hoje de manhã, reuni-me com o primeiro-ministro, com o representante especial do secretário-geral da ONU, o brigadeiro Rerden, para analisar a situação do Alfredo, e a estupidez que ele fez ontem», declarou Xanana Gusmão, referindo a reunião de emergência com José Ramos-Horta, Atul Khare e o comandante das Forças de Estabilização Internacionais (ISF).

«Como Presidente da República e comandante das Forças Armadas», Xanana Gusmão afirmou que «tudo foi feito» para resolver o caso Alfredo Reinado «por meios pacíficos» e evitando a «solução militar».

«Alfredo aproveitou-se sempre da situação para manipular», dizendo «hoje uma coisa e amanhã outra», e o Presidente da República considera que o militar «não é consistente com o que diz».

Alfredo Reinado, ex-comandante da Polícia Militar, foi uma das figuras centrais na crise política e militar de Abril e Maio de 2006. Foi detido em Julho na posse ilegal de material de guerra, durante uma operação de busca a três residências em Díli.

Há três semanas, o procurador-geral da República, Longuinhos Monteiro, chegou a acordo com Alfredo Reinado para que ele respondesse pela morte de um soldado das F-FDTL a 23 de Maio e pela posse ilegal de armas.


Link directo para a notícia


Mais noticias da imprensa:

FRETILIN acusa Austrália de «violação da soberania timorense»
Ramos Horta sucede a Xanana Gusmão
Xanana farto do Major Reinado
Timor: Ramos-Horta admite prescindir de militares da ONU
Timor: Matan Ruak ouvido pelo Ministério Público
Detenção de Alfredo Reinado, embaraça Xanana Gusmão
Timor: Quartel-general das forças armadas atacado
Timor: Quartel General das Forças armadas é atacado
Facção militar de Aileu acata ordens de Xanana
Portugal ajudará Timor em qualquer circunstãncia
Timor-Leste: Constituição de Comissão de Inquérito
Xanana e Yudhuyono encontram-se na próxima semana



A página “Recortes de Imprensa” é uma página de edição livre pelos utilizadores registados no Areamilitar.net. Não sendo o seu conteúdo verificado antes de publicação. Pelas suas características, poderá em alguns casos, ocorrer a publicação de matéria ou matérias que possam eventualmente ser objecto de “Direitos de Autor” em algum país.
Esclarece-se que a página, está elaborada em conformidade com o Art. 107, capítulo I, título XVII da legislação dos Estados Unidos da América, país onde se encontram alojadas as páginas e textos do Areamilitar.net.
Em conformidade com o disposto naquele artigo, esta página, destina-se a permitir a livre discussão sobre o tema (disponibilizando para o efeito uma caixa de comentários), não apresenta qualquer mensagem comercial, e respeita a origem da notícia referindo não só o autor, mas disponibilizando ligações para o artigo original. Além disso, não é permitida a publicação de qualquer notícia que não esteja disponível livremente na Internet à data da publicação.

Sendo a página de recortes da imprensa, produzida num espirito de "Boa Fé", poderão no entanto e eventualmente, ter lugar em algumas circunstâncias casos de violação inadvertida de direitos de autor. Neste caso e se houver razão para considerar que algum dos recorte de imprensa não está em conformidade com a legislação acima referida, deve ser contactado o areamilitar.net, através da caixa de mensagens disponível na primeira página, expondo claramente as razões e argumentos que permitam concluir sobre a eventualidade da ocorrência de qualquer violação de direitos. Caso a reclamação seja julgada procedente, o areamilitar.net, efectuará as necessárias alterações dentro dos condicionalismos técnicos impostos pelo sistema de gestão do site.