visitar Angop

Região: Angola
Tema: Exército

Os comentários aqui colocados são produzidos pelos leitores desta página, e não têm qualquer relação com o orgão de comunicação que produziu a notícia.
Forças Armadas continuam a apostar na formação

04.03.2007
Luanda, 01/03 - O vice-ministro da Defesa nacional, Agostinho Fernandes Nelumba `Sanjar`, garantiu hoje na comuna da Funda, município do Cacuaco (Luanda) que a árdua tarefa de formar e preparar as tropas é uma das mais importantes apostas da direcção das FAA.

O governante que falava no acto de abertura do período de instrução militar 2007/2008, na unidade da 101ª Brigada de Tanques das FAA, disse que a formação vai permitir o desempenho com dignidade, zelo e responsabilidade das tarefas atribuídas ao exército.

Segundo ele, esta tarefa reveste-se de grande importância face aos grandes desafios que se vislumbram no quadro da defesa da pátria e da integridade territorial, da inviolabilidade das fronteiras, bem como na garantia da segurança da população.

`As FAA conquistaram por direito próprio o prestígio e admiração do povo angolano pelas acções que vêem realizando em prol da paz e reconciliação nacional, graças a uma forte organização interna`, sublinhou.

Referiu que a preparação operativa, combativa e educativa-patriótica nas FAA é um sistema permanente de adestramento das tropas que visa fundamentalmente capacitar as unidades, estabelecimentos e órgãos da corporação, para o cumprimento exitoso das missões que lhe são atribuídas.

Testemunharam a cerimónia o chefe de Estado-Maior General das FAA, Francisco Pereira Furtado, oficiais generais, almirantes e superiores, adidos de defesa das missões diplomáticas acreditadas no país e convidados.

A cerimónia foi marcada por desfile das tropas em parada e uma visita a exposição de técnica e armamento militar.


Link directo para a notícia


Mais noticias da imprensa:

Comando das Forças Armadas melhora sistemas de comunicação
Avião da Força Aérea despenha-se e causa dois mortos
Vice-ministro da Defesa destaca cooperação militar na CPLP
RDCongo: Deputados confirmam ocupação angolana junto fronteira
Embaixada desmente acordo para envio de força policial ao Zimbabwe
Forças Armadas continuam a apostar na formação
Angola vai contribuir para a formação do exército da R.D.Congo
Zâmbia/Angola: Peritos preparam encontro ministerial de Defesa e Segurança
EUA garantem reforço à capacidade operacional das F.A.Angolanas
Angola e Zimbabwe analisam cooperação técnico-militar
Assinado acordo de Cessar-fogo para Cabinda
Fuzileiros angolanos e portugueses iniciam exercicios conjuntos



A página “Recortes de Imprensa” é uma página de edição livre pelos utilizadores registados no Areamilitar.net. Não sendo o seu conteúdo verificado antes de publicação. Pelas suas características, poderá em alguns casos, ocorrer a publicação de matéria ou matérias que possam eventualmente ser objecto de “Direitos de Autor” em algum país.
Esclarece-se que a página, está elaborada em conformidade com o Art. 107, capítulo I, título XVII da legislação dos Estados Unidos da América, país onde se encontram alojadas as páginas e textos do Areamilitar.net.
Em conformidade com o disposto naquele artigo, esta página, destina-se a permitir a livre discussão sobre o tema (disponibilizando para o efeito uma caixa de comentários), não apresenta qualquer mensagem comercial, e respeita a origem da notícia referindo não só o autor, mas disponibilizando ligações para o artigo original. Além disso, não é permitida a publicação de qualquer notícia que não esteja disponível livremente na Internet à data da publicação.

Sendo a página de recortes da imprensa, produzida num espirito de "Boa Fé", poderão no entanto e eventualmente, ter lugar em algumas circunstâncias casos de violação inadvertida de direitos de autor. Neste caso e se houver razão para considerar que algum dos recorte de imprensa não está em conformidade com a legislação acima referida, deve ser contactado o areamilitar.net, através da caixa de mensagens disponível na primeira página, expondo claramente as razões e argumentos que permitam concluir sobre a eventualidade da ocorrência de qualquer violação de direitos. Caso a reclamação seja julgada procedente, o areamilitar.net, efectuará as necessárias alterações dentro dos condicionalismos técnicos impostos pelo sistema de gestão do site.