visitar Diario Digital

Região: Angola
Tema: Geoestratégia

Os comentários aqui colocados são produzidos pelos leitores desta página, e não têm qualquer relação com o orgão de comunicação que produziu a notícia.
RDCongo: Deputados confirmam ocupação angolana junto fronteira

06.04.2007
Os deputados da RDCongo que visitaram, na semana passada, localidades junto à fronteira com Angola verificaram que as tropas angolanas ocupam esta região, noticia hoje o jornal Le Phare.

Os deputados que se deslocaram à zona de fronteira com Angola fazem parte de uma comissão de inquérito parlamentar criada para elaborar um relatório sobre a alegada ocupação angolana de 11 localidades da RDCongo.

A zona fronteiriça em questão, numa extensão de 45 quilómetros, está situada entre os rios Lushiku, a leste, e Luango, a oeste, na províncias da Lunda Norte (Angola) e Bandundu (RD Congo), e é limitada pelos marcos com os números 20, 21, 22 e 23.

A fronteira comum entre Angola e a RDCongo tem uma extensão de 2.900 quilómetros, separados por 112 marcos de referência. Divididos em quatro grupos, os deputados, acompanhados por peritos de organismos governamentais, visitaram Kadimbala, próximo do limite 23, Shashindi e Shakombe, perto do limite 21.

De acordo com o jornal congolês «Le Phare», uma barreira construída pelos guardas fronteiriços angolanos impediu os deputados de entrar em Shashundi.

O jornal descreve que no local os guardas fronteiriços instalaram várias tendas, escavaram buracos onde colocaram armamento pesado e colocaram a bandeira angolana.

Segundo Le Phare, a equipa de deputados também notou a presença de angolanos em Kadimbala.

Os parlamentares que se deslocaram a Shakombe verificaram junto da população que antes da sua chegada, helicópteros angolanos tinham ido buscar soldados para que não se apercebessem da sua presença.

A comissão parlamentar vai agora elaborar um relatório a divulgar nos próximos dias.

As Forças Armadas Angolanas (FAA) tinham anteriormente desmentido que as suas tropas tivessem entrado em território da RDCongo, assegurando que estes efectivos militares não se encontram envolvidos em qualquer actividade próxima das Fronteiras. Na semana passada, o Ministério das Relações Exteriores de Angola anunciou a criação de grupos técnicos destinados a rever a situação da fronteira entre Angola e a RDCongo.

Diário Digital / Lusa


Link directo para a notícia


Mais noticias da imprensa:

Comando das Forças Armadas melhora sistemas de comunicação
Avião da Força Aérea despenha-se e causa dois mortos
Vice-ministro da Defesa destaca cooperação militar na CPLP
RDCongo: Deputados confirmam ocupação angolana junto fronteira
Embaixada desmente acordo para envio de força policial ao Zimbabwe
Forças Armadas continuam a apostar na formação
Angola vai contribuir para a formação do exército da R.D.Congo
Zâmbia/Angola: Peritos preparam encontro ministerial de Defesa e Segurança
EUA garantem reforço à capacidade operacional das F.A.Angolanas
Angola e Zimbabwe analisam cooperação técnico-militar
Assinado acordo de Cessar-fogo para Cabinda
Fuzileiros angolanos e portugueses iniciam exercicios conjuntos



A página “Recortes de Imprensa” é uma página de edição livre pelos utilizadores registados no Areamilitar.net. Não sendo o seu conteúdo verificado antes de publicação. Pelas suas características, poderá em alguns casos, ocorrer a publicação de matéria ou matérias que possam eventualmente ser objecto de “Direitos de Autor” em algum país.
Esclarece-se que a página, está elaborada em conformidade com o Art. 107, capítulo I, título XVII da legislação dos Estados Unidos da América, país onde se encontram alojadas as páginas e textos do Areamilitar.net.
Em conformidade com o disposto naquele artigo, esta página, destina-se a permitir a livre discussão sobre o tema (disponibilizando para o efeito uma caixa de comentários), não apresenta qualquer mensagem comercial, e respeita a origem da notícia referindo não só o autor, mas disponibilizando ligações para o artigo original. Além disso, não é permitida a publicação de qualquer notícia que não esteja disponível livremente na Internet à data da publicação.

Sendo a página de recortes da imprensa, produzida num espirito de "Boa Fé", poderão no entanto e eventualmente, ter lugar em algumas circunstâncias casos de violação inadvertida de direitos de autor. Neste caso e se houver razão para considerar que algum dos recorte de imprensa não está em conformidade com a legislação acima referida, deve ser contactado o areamilitar.net, através da caixa de mensagens disponível na primeira página, expondo claramente as razões e argumentos que permitam concluir sobre a eventualidade da ocorrência de qualquer violação de direitos. Caso a reclamação seja julgada procedente, o areamilitar.net, efectuará as necessárias alterações dentro dos condicionalismos técnicos impostos pelo sistema de gestão do site.