visitar Angop

Região: Angola
Tema: Geoestratégia

Os comentários aqui colocados são produzidos pelos leitores desta página, e não têm qualquer relação com o orgão de comunicação que produziu a notícia.
Vice-ministro da Defesa destaca cooperação militar na CPLP

10.04.2007
Luanda, 10/04 - O vice-ministro da Defesa, Gaspar Rufino, destacou hoje, em Luanda, o nível de cooperação militar existente entre os estados membros da Comunidade dos Países de Língua Portuguesa (CPLP), que permitem a realização de algumas tarefas conjuntas num ambiente fraterno.

Gaspar Rufino fez este pronunciamento na cerimónia de abertura da 9ª reunião dos chefes de Estado Maior General da CPLP que vai decorrer até quarta-feira, em Luanda.

De acordo com o governante angolano, nove reuniões desta instituição constituem já um bom percurso, pois ao longo deste período produziram-se importantes instrumentos para concretizar os objectivos da cooperação no domínio da defesa entre os estados membros.

Segundo ele, o país sente-se regozijado por acolher mais uma vez este encontro que constitui `um espaço privilegiado para o reforço dos laços de amizade e entendimento entre os países de língua portuguesa`.

Participam no encontro, que encerra quarta-feira os chefes dos Estados Maior do Brasil, tenente-brigadeiro Cleonilson Nicácio Silva, de Portugal, general Luís Valença Pinto, de Cabo Verde, coronel Antero Matos, de São Tomé e Príncipe, tenente-coronel Idalécio Custódio Pachire e de Moçambique, o comandante da Marinha de Guerra, contra-almirante Patrício Cancuta Yotamo, em representação do seu chefe de Estado Maior.

Guiné-Bissau e Timor Leste também membros da CPLP não se fazem presentes no encontro por razões desconhecidas.

Angola acolhe pela segunda vez a reunião que tem como objectivo a promoção da cooperação no domínio da defesa entre os estados membros que têm em comum a língua.

Testemunharam o acto oficiais-generais dos distintos ramos das FAA e da Polícia Nacional, adidos de defesa acreditados no país, entre outros convidados.


Link directo para a notícia


Mais noticias da imprensa:

Comando das Forças Armadas melhora sistemas de comunicação
Avião da Força Aérea despenha-se e causa dois mortos
Vice-ministro da Defesa destaca cooperação militar na CPLP
RDCongo: Deputados confirmam ocupação angolana junto fronteira
Embaixada desmente acordo para envio de força policial ao Zimbabwe
Forças Armadas continuam a apostar na formação
Angola vai contribuir para a formação do exército da R.D.Congo
Zâmbia/Angola: Peritos preparam encontro ministerial de Defesa e Segurança
EUA garantem reforço à capacidade operacional das F.A.Angolanas
Angola e Zimbabwe analisam cooperação técnico-militar
Assinado acordo de Cessar-fogo para Cabinda
Fuzileiros angolanos e portugueses iniciam exercicios conjuntos



A página “Recortes de Imprensa” é uma página de edição livre pelos utilizadores registados no Areamilitar.net. Não sendo o seu conteúdo verificado antes de publicação. Pelas suas características, poderá em alguns casos, ocorrer a publicação de matéria ou matérias que possam eventualmente ser objecto de “Direitos de Autor” em algum país.
Esclarece-se que a página, está elaborada em conformidade com o Art. 107, capítulo I, título XVII da legislação dos Estados Unidos da América, país onde se encontram alojadas as páginas e textos do Areamilitar.net.
Em conformidade com o disposto naquele artigo, esta página, destina-se a permitir a livre discussão sobre o tema (disponibilizando para o efeito uma caixa de comentários), não apresenta qualquer mensagem comercial, e respeita a origem da notícia referindo não só o autor, mas disponibilizando ligações para o artigo original. Além disso, não é permitida a publicação de qualquer notícia que não esteja disponível livremente na Internet à data da publicação.

Sendo a página de recortes da imprensa, produzida num espirito de "Boa Fé", poderão no entanto e eventualmente, ter lugar em algumas circunstâncias casos de violação inadvertida de direitos de autor. Neste caso e se houver razão para considerar que algum dos recorte de imprensa não está em conformidade com a legislação acima referida, deve ser contactado o areamilitar.net, através da caixa de mensagens disponível na primeira página, expondo claramente as razões e argumentos que permitam concluir sobre a eventualidade da ocorrência de qualquer violação de direitos. Caso a reclamação seja julgada procedente, o areamilitar.net, efectuará as necessárias alterações dentro dos condicionalismos técnicos impostos pelo sistema de gestão do site.