Conflitos internacionais


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Mali: Franceses às portas do último reduto
Rebeldes recuam para o deserto e montanhas
28.01.2013


O avanço das forças francesas sobre as posições dos rebeldes Malianos nas últimas 48 horas não encontrou qualquer tipo de oposição por parte dos rebeldes do Mali e de outras proveniências, que haviam tomado todo o norte do país nos últimos meses. Os franceses encontram-se no aeroporto de Tombuctu (Tombouctou na forma francesa, Timbuktu na forma inglesa).

As forças francesas que completaram a tomada de Diabaly na passada semana, avançaram em direção a Tombouctou, tendo tomado posições no aeroporto da cidade, uma pista que não estão muito bem conservada mas que tem uma pista de 2000m.

O aeroporto encontra-se a menos de 6km do centro da cidade. A tomada do aeroporto poderá permitir às forças francesas alguma facilidade logística, ainda que a sua utilização não seja segura, dado se temer que os rebeldes malianos possuam alguns mísseis anti-aéreos.

Neste momento, as forças francesas encontram-se a cerca de 1000km de Bamako por estrada e a cerca de 300km do aeroporto de Mopti que as forças francesas também controlam.
No leste do Mali, as forças francesas em cooperação com o exército do Niger avançaram sobre a cidade de Gao, que também foi abandonada pelas forças rebeldes. Gao fica a cerca de 300km da capital do Niger, o que facilitou o envio de algumas centenas de militares.

A situação continua no entanto fluida. Sabe-se que os militantes recuaram em toda a linha, e ficou demonstrado que não tinham na realidade uma capacidade efetiva de combate coordenado. Espera-se no entanto que, quando conseguirem organizar os vários grupos que ficaram isolados pelo rápido avanço dos franceses, os militantes islâmicos possam ainda efetuar algum tipo de ações militares.
Mapa da situação em 28 de Janeiro de 2013

A cidade de Tombouctou, antigo centro cultural do mundo islâmico no norte de África é a última cidade de dimensões significativas que neste momento resta, pelo menos nominalmente nas mãos dos rebeldes.

Há no entanto ainda várias localidades, nomeadamente pequenas cidades no deserto que continuam pelo menos sob a influência de elementos destas organizações. O rápido avanço das forças francesas também levou a que muitos destes ativistas tenham ficado para trás, o que está a provocar problemas com o exército do Mali, que avança atrás das tropas francesas e que tem vindo a efetuar um trabalho de «limpeza» das áreas libertadas.
A ação do exército do Mali tem sido criticada, porque sem saber quem são os verdadeiros combatentes, os militares estão a efetuar julgamentos e execuções sumárias.

A tropas francesas avisaram que não têm meios para tentar controlar as áreas sob o domínio dos rebeldes e ao mesmo tempo analisar o comportamento das forças do governo de Bamako.


Últimas noticias sobre este tema

Capital da Líbia isolada

Mali: Franceses às portas do último reduto

Tomada de Diabaly abre caminho para norte

Ataque argelino deixa 49 mortos

França intensifica ataques no Mali

Helicópteros franceses derrotam Alqaeda

Kadafi abatido

Combates chegam ao centro de Sirte

| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Listar todos os mísseis | Listar sistemas de artilharia | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia|
  ---