Marinha


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Tensões crescentes entre China e Japão
Atividades da marinha de Pequim são ameaça
05.08.2013


As autoridades militares japonesas expressaram na última semana a sua preocupação pelo aumento da atividade militar da marinha chinesa, na área a leste da linha de ilhas que vai do Japão até Taiwan e às Filipinas e que normalmente delimitam a área de maior interesse e atividade da marinha da China.

Ao começar a atuar e a efetuar testes e exercícios para lá dessa linha a marinha chinesa está segundo os japoneses a optar por uma estratégia de confronto, para «marcar terreno» e criar tensões desnecessárias com o Japão.

A rivalidade entre os dois países tem muitos séculos, e o dominio dos mares na região sempre foi contestado.
Mesmo no periodo em que o império da China e os mongóis que controlavam a China, detinha um grande poder naval, ainda assim esse poder era contestado pelos japoneses. Essa contestação chegou ao ponto de no século XIII o imperador mongol ter feito duas tentativas para submeter o Japão.
Em 1281 uma frota vinda da China composta por 4,000 (quatro mil) navios e 140,000 (cento e quarenta mil) homens, lançou-se sobre o Japão, mas foi detida por um tufão que devastou grande parte da esquadra e matou a maior parte dos homens.
A resistência à China faz parte da História do Japão e as relações entre os dois países têm-se sempre pautado por alguma rivalidade. Durante a década de 1930 os dois países estiveram por várias vezes em guerra, e a guerra entre China e Japão só terminou com o fim da II guerra mundial.

Após a vitória do Partido Comunista na guerra civil chinesa a China não possuia uma marinha com capacidade para atuar fora das águas territoriais. A marinha chinesa até à década de 1980 era essencialmente constituida por pequenas embarcações, vedetas e lanchas.

O crescimento da economia chinesa e o investimento cada vez maior nos meios navais levou a que a marinha da China se tenha transformado em alguns anos numa das mais poderosas da Ásia, pelo que neste momento o país pretende manter uma política de controlo das águas que considera vitais para a sua subsistência.

As questões territoriais que a China mantém como Japão principalmente por causa das ilhas Senkaku, levou o governo de Pequim a prosseguir uma política mais ativa do ponto de vista militar, passando a atuar fora da primeira linha de ilhas que tradicionalmente delimitam os mares costeiros chineses.
(1) - Primeira linha de ilhas entre Japão e Taiwan.(2) - Segunda linha de ilhas, desde o Japão até à Indonésia

A China anunciou que vão passar a ser rotineiras as operações de treino militar da marinha chinesa nas águas do Pacífico, pelo que o atravessamento da linha de ilhas entre o Japão e Taiwan por navios de guerra chineses vai passar a ser comum.
Espera-se também que os chineses comecem a operar para lá da segunda linha de ilhas, que dá acesso ao Pacifico central, uma área controlada pela marinha norte-americana desde o fim da II guerra mundial.







Últimas noticias sobre este tema

Taiwan prepara-se contra a China

Tensões crescentes entre China e Japão

Filipinas podem comprar porta-aviões

Marinha da China chega à Malásia

Caça J-15 pousa em porta-aviões chinês

China coloca porta-aviões ao serviço

Fragatas italianas para as Filipinas

Tensão continua no mar do sul da China

| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Listar todos os mísseis | Listar sistemas de artilharia | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia|
  ---