Tecnologia


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Laser em testes na marinha americana
Protótipo estará operacional em 2014
17.08.2013


A marinha dos Estados Unidos está a testar sistemas de suporte e designação de alvos que deverão ser utilizados no primeiro sistema de defesa aérea com base em armas de energia dirigida, vulgarmente conhecidas como «raios laser».
Desde há pelo menos dois anos que informações sobre o estágio avançado de desenvolvimento deste novo sistema de defesa têm sido referidos na imprensa especializada e agora confirma-se o desenvolvimento deste tipo de arma, sabendo-se mesmo que será instalado até 2014, um sistema experimental a bordo de um navio da US Navy.

Estas informações foram confirmadas após novos sistemas terem sido identificados a bordo do contra-torpedeiro USS Dewey durante Junho de Julho deste ano. Mas as informações já tinham vindo a tornar-se domínio público, com responsáveis da marinha a afirmar no inicio de 2012 que uma arma que dispara à velocidade da luz estaria em desenvolvimento e estaria em testes muito antes do que se poderia esperar.

Com efeito, em Janeiro de 2012 foi divulgado um video em que um sistema de laser destruia um micro UAV. Esta informação foi junta a outra em que se afirmava que um sistema defensivo a laser seria instalado para testes em 2014 a bordo do navio logístico USS Ponce, estacionado no Golfo Pérsico.

Defesa contra ameaças assimétricas

A marinha dos Estados Unidos afirma que considera este tipo de armas como uma resposta extremamente económica contra ameaças assimétricas. Por um lado a arma poderá ser extremamente eficaz e por outro ela é muito mais barata que outros sistemas de defesa instalados a bordo de navios.

Game Changer
Por todas estas razões há analistas que consideram que a nova arma, caso venha a ter sucesso, representará uma mudança devastadora na guerra naval, representando uma revolução tão radical quanto a que resultou da introdução do Dreadnought, do primeiro navio blindado ou da munição explosiva em meados do século XIX (ver Batalha de Sinop).

Ao contrário dos sistemas a laser aerotransportados, os sistemas embarcados não têm o mesmo tipo de limitação de potência, pelo que podem ser muito mais poderosos. Sistemas de laser com potência de 100,000V poderão estar operacionais ainda durante esta década e terão capacidade para abater mísseis anti-navio, aviões e helicópteros.

É na função anti-míssil que os sistemas a laser poderão ser mais eficientes, já que depois de detetada a ameaça, um sistema a laser tem uma precisão muito elevada e a velocidade da luz.

Todos os sistemas anti-míssil que estão ao serviço, utilizam projeteis que precisam percorrer a distância entre o sistema de disparo e o alvo e durante este período o alvo aproxima-se.
Já com um sistema a laser, a velocidade da luz percorre a distância até ao alvo em frações de microsegundos, dando mais tempo para atingir o alvo.

Este tipo de sistema pode ainda ser útil para sistemas anti-navio que utilizem ataques por saturação. Em principio e considerando três destes sistemas instalados a bordo de porta-aviões e dois a bordo de dois navios de escolta, com um alvo destruído a cada dez segundos, poderão ser destruídos até 21 mísseis anti-navio supersónicos em menos de 30 segundos.
Esta capacidade permite a um grupo de batalha norte-americano resistir mesmo a um ataque maciço de mísseis SS-N-19 Granit lançado de bordo de um navio do tipo Pedro o Grande, da marinha da Rússia.

Custo por disparo incrivelmente baixo

Talvez a mais espetacular característica dos novos sistemas de armas, é o custo. Cada disparo de um laser de alta potência, com capacidade para destruir um drone ou um míssil anti-navio, tem um custo de pouco mais de 1 dolar americano.


Últimas noticias sobre este tema

Uma coisa que anda … e tem rodas

Avião espião SR-72

Laser em testes na marinha americana

Problemas com GBI não alteram estrategia

X-51 Waverider testado novamente

Space Shuttle voa pela última vez

Sistemas de defesa naval ficarão obsoletos

Canhão electromagnético testado com sucesso

| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Listar todos os mísseis | Listar sistemas de artilharia | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia|
  ---