Marinha


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Submarino russo (?) na Suécia
Marinha sueca procura submersível
20.10.2014


Uma transmissão em língua russa efetuada num canal de emergência normalmente utilizado pelos russos, é neste momento um dos indícios mais importantes que levam a concluir que algo terrivelmente errado voltou a acontecer com um submarino russo nas águas territoriais da Suécia.

Desde Sexta-feira, dia 17, que lanchas e patrulhas da marinha da Suécia patrulham as águas no arquipélago de Estocolmo, um conjunto de ilhas localizado frente à capital sueca. Navios com capacidade anti-submarina têm tentado varrer o fundo do mar, para tentar perceber a origem das comunicações.

Um primeiro alerta foi lançado com uma comunicação através de um canal de emergência em língua russa. Posteriormente, foi detetado um aumento das comunicações cifradas com origem em Kaliningrado e um ponto algures próximo à costa da Suécia. Existem notícias de que um navio de salvamento, saíu de S. Petersburgo na madrugada Domingo.

Foram também publicadas fotografias de um objeto não identificado que emergiu diversas vezes tendo posteriormente submergido novamente.
As autoridades suecas afirmaram no Domingo, que é muito alta a probabilidade de alguma atividade subaquática estar a ter lugar em águas territoriais suecas.

As autoridades russas negaram categoricamente qualquer presença de submarinos nas águas suecas, mas esse é o comportamento tradicional das autoridades daquele país, inclusive quando em 1981 um submarino da classe Whiskey encalhou em águas da Suécia e o exercito sueco entrou em estado de alerta, porque se temeu que os russos o tentassem recuperar [a]. Só perante as imagens do submarino encalhado, é que as autoridades soviéticas reconheceram que o submarino lhes pertencia.

O incidente de 1981, demonstrou que ao contrário do que as autoridades soviéticas afirmavam, havia de fato atividades de marinha russa dentro das águas territoriais suecas. Nos últimos anos, têm-se multiplicado indicios de que a marinha russa voltou às suas práticas antigas.



[a] – Em 1981 a União Soviética enviou uma força naval para ajudar o submarino, a qual mostrou intenção de entrar dentro das águas territórias suecas, sem autorização.
Perante a permanência dos navios russos e a sua aproximação, os suecos ordenaram às suas batarias de defesa costeira que iluminassem deliberadamente os navios com os sistemas de pontaria, indicando a sua predisposição para abrir fogo.
Só quando perceberam que a artilharia costeira sueca se preparava para disparar é que os navios russos retiraram.
Traços de Uranio-238, levantaram especulações de que o submarino soviético transportava armas nucleares, nomeadamente torpedos com ogiva nuclear.


Últimas noticias sobre este tema

Busca cancelada

Submarino russo (?) na Suécia

Adeus Vladivostok

Graney entra ao serviço na Rússia

De volta à base

Programa nuclear naval russo sofre revés

Último Oscar retirado em 2014

Rússia pode vender submarinos

| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Listar todos os mísseis | Listar sistemas de artilharia | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia|
  ---