Marinha


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Busca cancelada
Suécia não consegue encontrar alegado submarino russo
24.10.2014


As autoridades suecas anunciaram nesta sexta-feira o cancelamento da operação de busca, de um alvo subaquático detetado na semana passada nas águas do arquipélago de Estocolmo, a sudeste da capital sueca. As autoridades navais garantiram no entanto que, apesar de não terem sido capazes de encontrar a origem das comunicações rádio, estão convencidas de que elas tiveram origem num submarino convencional de um país estrangeiro.

O arquipélago de Estocolmo, é composto por milhares de ilhas e extende-se por um perímetro exterior de 140km, no que é na prática um gigantesco labirinto de ilhas e ilhotas. Além disso a reduzida profundidade, permite que um navio submarino assente no fundo, confundindo-se com a superfície subaquática.

O varrimento de toda a área com sonares especiais, que permitem identificar objetos em três dimensões, é um processo extremamente lento e demoraria anos a pesquisar todo o arquipélago.
Por esta razão, procurar um submarino na região, é quase como procurar uma agulha num palheiro e restam poucas outras possibilidades além da análise de comunicações rádio, mesmo que encriptadas, tentando detetar a origem através de triangulação, ou então a identificação visual.

Durante a guerra fria a Rússia utilizou esta vantagem para enviar missões contra as águas suecas com o objetivo de testar a capacidade de defesa do país, já que os planos russos previam a invasão da Suécia para assim atingir a Noruega e garantir o controlo do mar do norte.

Arquipelago de Estocolmo: Milhares de ilhas
Ocorreram vários incidentes e num deles um submarino russo encalhou em águas suecas, o que permitiu confirmar que, apesar dos contínuos desmentidos por parte dos governantes do Kremlin, a União Soviética estava mesmo a enviar submarinos para águas suecas.

Origem desconhecida

As autoridades suecas não produziram qualquer informação oficial sobre a presença de um submarino russo em águas suecas. As afirmações oficiais afirmaram que a marinha da sueca tinha identificado um padrão que se tinha vindo a repetir desde há muitos anos e que era consistente com registos anteriores e ao mesmo tempo compatível com um submarino convencional.

O comportamento das autoridades da Rússia foi idêntico ao da União Soviética durante a guerra fria, negando qualquer ligação com o contato subaquático e chegando mesmo a acusar a Holanda de ter enviado submarinos para a Suécia aparentemente tentando criar confusão.

Sem que tenha sido dada qualquer explicação, navios russos de busca e salvamento foram enviados de emergência para as águas do Báltico e frequências utilizadas pelos russos em emergências foram utilizadas.


Últimas noticias sobre este tema

Busca cancelada

Submarino russo (?) na Suécia

Adeus Vladivostok

Graney entra ao serviço na Rússia

De volta à base

Programa nuclear naval russo sofre revés

Último Oscar retirado em 2014

Rússia pode vender submarinos

| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Listar todos os mísseis | Listar sistemas de artilharia | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia|
  ---