Exército


Translation to English not responsability of areamilitar.net.
Service is supplied as is and correct interpretation is not guaranteed.
Pandur com peça de 105mm novamente em consideração
Sucesso de testes abrirá porta para mais 33 viaturas
31.10.2007


A possibilidade de aquisição por parte do exército português de viaturas blindadas Pandur-II equipadas com torre com canhão de 105mm[1] parece continuar a ser considerada, após a divulgação de que continuam a ser feitos testes numa viatura Pandur-II equipada com a torre CT-CV da empresa belga CMI.

No caso de os testes deste sistema resultarem positivos, tal provavelmente implicará que o exército voltará a considerar a possibilidade de adquirir as 33 viaturas que continuam como opção de compra, embora além da torre CT-CV exista ainda a possibilidade de utilização da torre Otomelara HitFact, que tanto existe em versão 105mm como em versão 120mm e é utilizada pelos veículos de reconhecimento Centauro.

Esta última versão no entanto, conforme os dados disponíveis do fabricante, não tem a mesma capacidade para disparar munição com pressão mais elevada, o que limitará a sua utilizada contra alvos altamente blindados, que é uma das vantagens apresentadas pela CMI para defender a sua torre CT-CV.

A torre italiana é menos sofisticada e não tem sistema automático de carregamento, pelo que a sua alimentação é manual. A vantagem é que em principio o seu custo deverá ser inferior ao da torre da CMI, normalmente considerada como a mais sofisticada na sua classe.

O exército português havia afirmado em Fevereiro de 2006 que não acreditava que a proposta da Steyr para uma viatura blindada Pandur equipada com um canhão de 105mm fosse viável, tendo sido proferidas afirmações em que se afirmava que o exército tem dúvidas de que alguma vez tal seja possível.
O problema prendia-se com a pressão atmosférica dentro do veículo, a qual é necessária para a operação em ambiente de guerra nuclear/biológica/química para protecção das tripulações. Os sistemas testados na altura, não garantiam essa sobre-pressão quando disparavam, pelo que a aquisição das viaturas àquele fabricante pareceu descartada.

Veículo ligeiro com grande capacidade de fogo
A utilização de veículos com este tipo de características no exército português remonta às Panhard que foram adquiridas em parte para operação em Angola, onde no entanto a sua utilidade era mínima.

Com o fim dos Panhard como veículo de reconhecimento, apareceram os actuais V-150, armados com um canhão adequado para a função de reconhecimento, mas que pela sua potência é normalmente considerado como pouco adequado para a sua utilização numa viatura relativamente ligeira como são todas as viaturas da família V-100/Chaimite

A principal utilidade de um canhão de alta pressão capaz de disparar munição perfurante consiste na capacidade que esse tipo de canhão dá à viatura de disparar desde uma posição defensiva (atacar de um local oculto e fugir de imediato) com um elevado grau de possibilidade de perfurar e destruir um veículo blindado pesado.

O exército português parece assim continuar a apostar em manter uma unidade militar capaz de se deslocar por estrada a velocidades muito elevadas, mantendo ao mesmo tempo uma considerável potência de fogo.

Além da capacidade para se deslocar rapidamente por estrada, um veículo como o Pandur-II equipado com uma torre de 105mm deverá ter capacidade para ser aerotransportado, a bordo de uma avião do tipo C-130. Esta capacidade permite o reforço de unidades que estejam a efectuar missões de paz, mas que por alteração das condições locais tenham necessidade do poder de fogo que este tipo de arma permite dar.

A aquisição das viaturas não é no entanto certa, pois os custos previstos para este veículo são relativamente elevados, situando-se entre os 4 e os 5 milhões de Euros cada.

[1] Desde o inicio do processo de aquisição de viaturas blindadas sobre rodas que uma das exigências apresentadas aos concorrentes ao concurso internacional foi a de apresentarem este tipo de veículo.


Últimas noticias sobre este tema

Portugal cancela NH-90

Exército quer mais tanques

Crise chega às Pandur-II do exército português

Portugal: Honra Manchada !

Principio do fim para o tanque M-60

Contrapartidas agitam concorrência entre Oto Melara e CMI

Pandur com peça de 105mm novamente em consideração

Portugal: Dia do Exército

| Forças Armadas de Angola | Exército Brasileiro | Exército Português | Força Aérea Brasileira | Força Aérea Portuguesa | Marinha do Brasil | Marinha Portuguesa | Forças Armadas de Moçambique | Forças Armadas da Guiné-Bissau | Timor - Sociedade | Forças de defesa de Timor | Brasil | Moçambique | Portugal | Listagem de todas as notícias | Listar todos os navios | Listar todas as aeronaves | Listar armas ligeiras | Listar todos os veículos | Listar todos os mísseis | Listar sistemas de artilharia | Artigos de opinião | Médio Oriente | União Europeia | Europa fora a UE | América do Norte | América do Sul e Caribe | África | Índia e Asia Central | Ásia e Oceânia|
  ---