Europa
Sociedade / Política

Who the hell is Mr. Bancroft-Hinchey ?

por Paulo Mendonça
14.05.2010


Ainda que não esteja directamente relacionado com o tema deste site, foi-nos chamada a atenção para um curioso artigo[1] publicado no final de Janeiro de 2010, sob o pseudónimo de Timothy Bancroft-Hinchey, alegadamente editor da publicação russa «Pravda» (pravda.ru) e publicado em português. A situação é praticamente anedótica, mas mesmo assim, e por nos ter sido pedido um comentário, porque os artigos publicados são préviamente visionados antes da publicação, oferece-nos dizer o seguinte:

Nas declarações do alegado editor, que por alguma razão se terá dignado ler este humilde site, foi produzido tal chorrilho de disparates e cretinices sobre um artigo publicado no areamilitar.net (sobre as teorias da conspiração do ditador venezuelano Hugo Chavez) que nos demos ao trabalho de o ler.

Esperávamos no areamilitar.net, alguma explicação técnica, que nos permitisse concluir algo sobre a alegada bomba capaz de produzir terramotos, a que o dito pasquim fez referência (foi considerado como fonte pelo ditador venezuelano).
Mas para nosso espanto, o alegado editor daquela «folha» russa, não ficou indignado com a referência feita nas páginas deste site às patéticas alegações do presidente venezuelano Hugo Chavez Frias e à ridícula referência a uma bomba ou a um raio fabricador de terramotos no Haiti.

Aparentemente, a ira e raiva da publicação que já foi o orgulho da imprensa soviética, e que hoje se dedica ao sexo, às teorias da conspiração e aos fenómenos extra-terrestres, nada teve que ver com questões militares, ou de geoestratégia, mas com o facto de no areamilitar.net, alguém ter feito num artigo de opinião uma descrição sem papas-na-língua do que o PRAVDA.ru de facto aparenta ser: Uma demonstração de quão baixo pode chegar a natureza humana, quando munida de capacidade para escrever, ainda que desprovida da capacidade para pensar.

Mas para cúmulo do ridículo, e como que a reforçar o espanto de qualquer pessoa normal perante tão extemporânea e catatónica afirmação deste tal Sr. Hinchey (que aparentemente nem sequer existe) está o facto de nas críticas dirigidas a este site dizer uma coisa, e no parágrafo seguinte dizer o seu contrário.

Assim, o editorialista Timothy Bancroft-Hinchey acusa este site de insinuar «que a PRAVDA.Ru não é a mesma PRAVDA que antigamente e que só lhe restou o nome».
Curiosamente, no mesmo artigo, a mesma pessoa, afirma textualmente que «Fechada em Agosto de 1991, a PRAVDA impressa passou a ser vendida (…) e entretanto 90% dos jornalistas fundaram e registaram uma nova PRAVDA impressa».
Ou seja. É o mesmo, mas foi fechado, comprado, renegociado dividido e re-juntado.

Mas para lá da argumentação auto contraditória do Pravda.ru, há outra realidade muito mais evidente. É que ainda que os jornalistas fossem os mesmos, ainda que o jornal fosse publicado no mesmo lugar, com as mesmas máquinas, seria preciso ser muito cego para não entender que o PRAVDA que publicava os discursos de ditadores criminosos como Stalin ou Brejnev nada tem a ver com um jornal online, que se dedica a sexo, mentiras e vídeo, que é presentemente a única forma de garantir a sobrevivência de uma publicação do tipo na Rússia.

E esta é a verdade, absolutamente confirmada por qualquer um que tenha acompanhado a patética senda do PRAVDA ao se transformar num jornal de escândalos, que tentou copiar o SUN de Londres, substituindo as prostitutas inglesas da página dois por prostitutas russas online. Aparentemente, nem a qualidade das prostitutas russas salvou a publicação.

Termina o senhor Hinchey, com a exigência de um pedido de desculpas.
E é aquela exigência que é mais aviltante e mais repugnante.

Temos a honra neste site de publicar dados, artigos, opiniões e variadíssimas informações que tiveram e continuam a ter ocasionalmente e conforme a disponibilidade, a colaboração desinteressada de militares da Portugal e do Brasil, que nos ajudam a corrigir erros e gralhas e a melhorar a informação disponível. Em alguns casos, tratou-se de militares que viram os seus camaradas morrerem nos seus braços nas florestas de África.

O areamilitar.net considera insultuoso, que alguém que colabora com um jornal online, que se especializou em notícias como a de uma velhinha de 80 anos que foi violada por um extra-terrestre verde e que depois de engravidar deu à luz uma cabra de duas cabeças, tenha o descaramento e a indecente pouca vergonha de pedir desculpas a quem quer que seja que escreva neste site.

Preocupe-se o Sr. Hinchey com a corrupção no governo russo, que é das maiores em todo o mundo. Preocupe-se com os crimes dos soviéticos durante a II guerra e durante a guerra fria. Preocupe-se com as tenebrosas e cruéis mentiras que o antigo PRAVDA publicava e que levaram à morte de milhões e talvez um dia alguém lhe dê alguma credibilidade.

Mas enquanto se dedicar aos extra-terrestres, às preferências sexuais dos actores russos, às teorias da conspiração e aos atributos sexuais das passistas das escolas de Samba do Rio de Janeiro, ENTÃO REDUZA-SE À SUA INSIGNIFICÂNCIA, ou então volte a ser compositor de musica, profissão que detinha antes de escrevinhar para o Pravda. Faria seguramente figura menos triste.

Na verdade, só há uma resposta moderada, adequada e suficientemente sofisticada, para este tipo de gentinha. Essa resposta é a mesma que o sempre acutilante John Stewart dá no seu Daily Show, à igualmente inenarrável e disparatada FOX-NEWS.

Como este site é visitado por militares, que normalmente não têm os mesmos pruridos linguísticos, permito-me voltar a vestir por uns segundos a farda e dizer:

Fuck you, Mr. Timothy Bancroft-Hinchey
(whoever you are, and if you eventually exist) !







NOTAS:
O Jornal PRAVDA, foi o órgão de comunicação do comité central do partido comunista da União Soviética, e após o colapso da URSS, afogada no lodo, no sangue e na lama das suas próprias contradições, teve o mesmo destino do criminoso regime comunista que representava: O caixote do lixo da história.

O nome da publicação no entanto, tinha algum valor. Afinal, em russo a palavra PRAVDA - que continua a ser a mais prostituída das palavras da imprensa russa - quer dizer verdade, e num país controlado pela lei do terror, a palavra VERDADE pode não querer dizer nada, mas tem valor.

Algum valor lhe foi dado por investidores, que de imediato utilizaram o jornal para tentar ganhar dinheiro.
No entanto o projecto falhou. À medida que os corruptos membros do Partido Comunista tentavam aplicar na Rússia o que eles pensavam ser uma democracia, a economia russa, já de si arruinada pela corrupção e pela ineficiência típicas das ditaduras comunistas afundou-se ainda mais e levou consigo muitas iniciativas privadas.

Para juntar a tudo isto, a chegada ao poder de Vladimir Putin piorou tudo. Ligado à facção mais violenta do KGB, a facção que se dedicara ao crime organizado[1] Putin iniciará um reinado de terror, em aliança com as Máfias da Chechénia com as quais estabeleceu relações especiais, especialmente com o clã Mafioso de Kadirov.

Presentemente a chamada «imprensa séria» desapareceu na Rússia. A transformação do PRAVDA de um jornal com dezenas de milhões de tiragem diária, num jornal online dedicado ao sexo e aos extra-terrestres é uma demonstração disso, e também uma demonstração da decadência de uma Rússia que ainda não entendeu, que o tempo dos impérios está a chegar ao fim.



[1] – O artigo encontra-se neste link: Mentiras e verdade
[2] – Enquanto que os operacionais do KGB se dedicaram ao crime, os militantes do Partido Comunista dedicaram-se aos negócios. Isto gerou tensões entre os dois grupos.
A KGB acusou os antigos dirigentes do PCUS de terem vendido o país aos chamados oligarcas.
A primeira tentativa de controlo ocorreu em 1993, em que com o apoio de unidades do exército as máfias tentaram tomar o poder pela força. Finalmente o poder foi controlado por dentro quando os autores do golpe conseguiram colocar Vladimir Putin no poder.
Uma terceira facção, que não teve acesso ao dinheiro dos negócios e não tinha capacidade militarizada, controla hoje o que resta do Partido Comunista russo.

Este texto é da autoria de Paulo Mendonça e foi publicado em 14.05.2010.


Últimos artigos de opinião sobre este tema

Andar 25 anos para trás ...

Guerra económica: A volta das prateleiras vazias ?

No império nada mudou

Who the hell is Mr. Bancroft-Hinchey ?

Não subestimem a Russia

Milosevic: Como criar um mártir

As opiniões expressas neste artigo reflectem posições e pontos de vista que não são necessariamente os do Areamilitar.net, podendo mesmo ser contrários. A exposição de todos os pontos de vista e opiniões sobre questões militares e de geopolitica ou geoestratégia, é defendida pelo Areamilitar.net, e este espaço é disponibilizado com esse objectivo. As opiniões serão escritas na língua portuguesa, bem assim como os comentários.
Direito de resposta:
É reconhecido o Direito de Resposta, nos termos da Lei, a qualquer entidade que o deseje utilizar, devendo para o efeito ser efectuado um contacto através da caixa de contactos na página principal. Devem ser indicadas as razões pela qual o requerente solicita o uso desse direito, devendo de seguida ser enviado o texto correspondente.