Europa
Sociedade / Política

Não subestimem a Russia

por Wagner
20.05.2009


Muitos analistas ocidentais, mantendo uma tradição histórica, costumam generalizar e simplesmente ignorar, quando o assunto é a Rússia. Trata-se da continuação dos velhos preconceitos da Guerra Fria, na qual os malvados soviéticos cozinhavam criançinhas e as comiam com Vodka.

Percebe-se em inumeros artigos, neste site e em outros, que as analises feitas sobre as forças russas limitam-se a dizer : " esta tudo sucateado" , " falta dinheiro para tudo" , " os americanos são melhores" , ou outras opiniões especulativas que simplesmente dizem que a Rússia não teria a menor chance contra os ocidentais.

Certas analises descambam para violentas criticas contra Vladimir Putin, caracterizando-o como um perverso ditador malvado, discípulo de Stalin. Sugiro, ao mantenedores deste site, que não realizem criticas politicas em assuntos militares. Além disso, lembrem-se que um só Sovremeny pode destruir metade de uma esquadra americana em vinte segundos, da mesma forma que nada no mundo se compara aos Sukhois, bulavas ou Typhoons.

Não subestimem o Urso. Os russos ja provaram do que são capazes, e é exatamente a política de Vladimir Putin que impediu que um cara mais radical esmagasse os georgianos. ONDE ESTÁ A REFERENCIA AO MASSACRE DOS CIVIS DA ABKHAZIA POR PARTE DA GEORGIA ??
Este texto é da autoria de Wagner e foi publicado em 20.05.2009.


Últimos artigos de opinião sobre este tema

Andar 25 anos para trás ...

Guerra económica: A volta das prateleiras vazias ?

No império nada mudou

Who the hell is Mr. Bancroft-Hinchey ?

Não subestimem a Russia

Milosevic: Como criar um mártir

As opiniões expressas neste artigo reflectem posições e pontos de vista que não são necessariamente os do Areamilitar.net, podendo mesmo ser contrários. A exposição de todos os pontos de vista e opiniões sobre questões militares e de geopolitica ou geoestratégia, é defendida pelo Areamilitar.net, e este espaço é disponibilizado com esse objectivo. As opiniões serão escritas na língua portuguesa, bem assim como os comentários.
Direito de resposta:
É reconhecido o Direito de Resposta, nos termos da Lei, a qualquer entidade que o deseje utilizar, devendo para o efeito ser efectuado um contacto através da caixa de contactos na página principal. Devem ser indicadas as razões pela qual o requerente solicita o uso desse direito, devendo de seguida ser enviado o texto correspondente.